Invasão da Ucrânia – uma análise das informações no 6º dia

3
1631
Unidades russas destruídas em luta (fonte: internet)

(*) Por Tom Cooper, em Pucará Defensa

Mais uma vez, a expressão é “não houve muito progresso russo na Ucrânia ontem”. Bem vamos ver…

Muitas informações estão se tornando disponíveis sobre o desdobramento de unidades do Exército Russo, e tentarei ser mais específico a esse respeito também.

Norte

As Forças Armadas russas mobilizaram neste teatro de operações cerca de 30.000 soldados, organizados no 35º e 36º Exército de Armas Combinadas (CAA, ou “общевойсковая армия”, em russo). Liderada pela 98ª Divisão das Forças Aerotransportadas (Vozdushno-Desantnye Vojska – VDV), a 35ª CAA avança a oeste de Kiev para o sul. Começou a bombardear a cidade de Bila Tserkva, localizada a 70 km a sudoeste de Kiev, ontem à noite (01/03).

Pense nisso como uma boa ilustração de quão à frente suas unidades estão. Dito isso, os ucranianos atingiram seu flanco e romperam uma das colunas da 35ª CAA próximo à localidade de Borodianka (ver mapa), cerca de 20 km a noroeste de Kiev. Foi uma coisa inteligente de se fazer, mas a menos que eles façam isso 2 ou 3 vezes ao dia, é muito pouco.

A noroeste da 35ª fica a 36ª CAA, ainda presa em um gigantesco engarrafamento que agora se estende por cerca de 130 quilômetros, dos subúrbios ao norte de Kiev até a fronteira com a Bielorrússia.

Nordeste

Tanta coisa está acontecendo de Chernihiv a Kharkov, que esta é certamente uma “frente” separada. Portanto, vou tratá-lo como tal.

De oeste a leste (ou seja, de Chernihiv a Kharkov), as Forças Armadas russas colocaram em campo cerca de 45.000 soldados, organizados nos 2º, 6º e 41º CAA, 1º Exército de Tanques de Guardas (GTA), tropa de elite da força blindada russa.

A massa dessas tropas está jogando um jogo: são empurradas duramente por seus oficiais, mas ficam sem combustível, sem comida, perdendo o caminho, caindo em emboscadas ou abandonando veículos sem lutar.

Muito disso é surpreendente e/ou chocante para nós vermos, mas “normal” em um avanço maciço e rápido desse tipo. Dito isto, o único comando aqui que se sai muito bem é o 1º GTA. Ele está controlando cerca de 20 batalhões, que agora estão avançando em ambos os lados de Sumy, contornaram Rommy e estão pressionando a linha de defesa ucraniana entre Nizhyn e Pryluky, cerca de 70 quilômetros a leste de Kiev.

A cidade de Kharkov, a segunda maior da Ucrania, está cercada há dois dias, defendida (provavelmente) pelo equivalente a três brigadas do exército ucraniano e voluntários locais, foi exposta a uma série de ferozes bombardeios de artilharia, ataques de mísseis balísticos e ataques aéreos ao longo do dia.Os russos também bombardearam fortemente a cidade vizinha de Chuhiv (base aérea e base da 92ª Brigada Mecanizada ucraniana).

Fontes da inteligência ucraniana informaram que algumas das unidades mais importantes do 1º GTA foram até as proximidades do leste de Kiev, ou pelo menos estão se aproximando da cidade de Brovary. Se assim for, esta é uma boa indicação de que os russos estão “apenas começando” a sério, pelo menos restaurando a ordem dentro de suas unidades avançadas.

Leste

As Forças Armadas russas têm “apenas” cerca de 12 batalhões implantados na região de Donbas, mas estes são “reforçados” pelos separatistas e atacaram de Luhansk pela frente no noroeste e sul, e agora estão avançando.

No norte, eles estão empurrando para Hodivka (provavelmente para continuar até Kramatorsk) e  no sul eles cercaram Mariupol.

Sul

O comando da frente sul da Rússia é liderado pelo conhecido 58º CAA, e este é, até o momento, o comando russo mais eficaz.

Tropas russas em Kherson (Fonte: Internet)

Não se conhece detalhes de sua composição, exceto que incluía pelo menos uma das “unidades principais” russas desde o início, e que sofreu perdas no primeiro ataque a cidade portuária de Kherson, em 25 de fevereiro, mesmo que tenha garantido a cabeça de ponte sobre o Rio Dnieper.

No total a força do 58ª força CAA é de  cerca de 17.000 militares, com mais por vir.

O flanco ocidental, os russos anunciaram que o 58º CAA tomou a cidade de Kherson ontem (NE: mas o Governo da Ucrânia nega), e que atualmente está sondando Mykolaiv, enquanto empurra suas unidades avançadas para noroeste.

No norte, o 58ª CAA lançou seu ataque a cidade Tokmak e retomou seu avanço em Zaporozhye e, no leste, completou o cerco de Mariupol na tarde de ontem.

Com isso, provavelmente temos o segundo “bolsão” significativo das forças armadas ucranianas sitiadas, provavelmente com o equivalente a três brigadas, incluindo algumas da conhecida organização paramilitar (atualmente ligada ao Ministério do Interior da Ucrânia), o Batalhão Azov.

Matéria original “Guerra en Ucrania: Día 6”, publicada em 02/03/2022 e traduzida e adaptada por Paulo Bastos.

(*)Tom Cooper é analista de defesa, historiador e editor do ACIG.info e da série de livros @War. Entre outros, ele é o autor do livro “Moscow’s game of poker – Intervenção militar russa na Síria, 2015-2017”, editado por Helion & Company.

3 Comentários

  1. Maravilha de Matérial… Abrangente…
    Da pra ter uma ideia do tamanho da tropa e da área de atuação…
    O território Ucrâniano é enorme, isto vai demandar mais tropa no TO e um esforço logístico monstruoso pelos russos além das armadilhas que surgirão. Se não chegar a ajuda para resistir , chuto que em 12 dias a Ucrânia cai.

    Grato pelo rico matérial que está sendo postado.

  2. Olhando os vídeos e as Fotos deste Twitter Ucraniano, são muitos blindados abandonados e destruídos.
    Não tenho competência para dizer se são Veículos Usados por companhias Russas ou por Separatistas Pro Rússia, ou até mesmo Veículos Ucranianos que também tem muito material militar Russo.

    É um retrato sombrio que as forças blindadas estão passando nesta Guerra

    https://mobile.twitter.com/UAWeapons

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here