Índia compra ‘Caça-Tanques’ Sprut-SD para enfrentar os blindados chineses Tipo 15

8
3592

Por Giacomo Cavanna, Ares Osservatorio Difesa

O Exército indiano está negociando a aquisição de quarenta e cinco (45) blindados 2S25 Sprut-SD, com a Rússia, para tentar equilibrar a balança militarmente China na região do Vale de Galwan, fronteira entre os dois países, foco de incidentes militares recentes.

Carros de combate leves estão sendo procurados por ambos os países, pois permitem operar nos territórios de fronteira caracterizados por um complexo terreno montanhoso, com inúmeras armadilhas naturais e pela alta altitude. A China recentemente mostrou em um vídeo seu tanque leve Tipo 15 em treinamento no platô tibetano, operando em condições semelhantes as encontradas na fronteira, anunciando que poderão ser utilizados próximos a chamada de Linha Atual de Controle (LAC, Line of Actual Control).

A urgência indiana de preencher essa lacuna os levou de volta aos braços dos russos, como aconteceu há muito tempo para os combatentes. Atualmente a DRDO (Defence Research and Development Organisation ou Organização de Pesquisa e Desenvolvimento da Defesa) indiana possui um programa de desenvolvimento para um tanque leve, mas até agora nenhum detalhe adicional é conhecido. Não seria de surpreender que, além de servir como sucessor de lacunas, o Sprut-SD possa servir aos indianos como modelo para reunir algum “conhecimento” técnico.

Sprut-SD da VDV desfilando em Moscou, na Parada da Vitória de 2008

Sprut-SD

O 2S25 Sprut-SD é um Carro de Combate leve, anfíbio, baseado no chassi do BMD-3, que foi apresentado pela primeira vez em 2003, em Abu Dhabi, com peso de apenas 18 toneladas que, equipado com um motor diesel de 510 hp,  possui uma relação peso-potência de 28,3 hp por tonelada, podendo chegar a uma velocidade máxima de 71 km/h em estradas ou 10 km/h na água.

Ele foi projetado para ser um caça-tanques (Tank Destroyer) em operações aerotransportadas e anfíbias, que pode operar em altitudes muito altas, até 4000 metros, e vários acessórios podem ser instalados para facilitar as missões na presença de neve. Uma peculiaridade interessante é a possibilidade de ser transportado enganchado em um helicóptero Mil Mi-26 ou ser transportado por um avião Il-76, com a tripulação a bordo, que o torna ideal para esse teatro de operações.

O poder de fogo é garantido por um canhão 2A75, de 125 mm, com uma taxa de disparo de sete disparos por minuto. Ele pode empregar mísseis APFSDS, HE-Frag, HEAT e também ATGM. É equipado com um sistema de carregamento automático. Pode levar até 40 munições, 22 das quais estão disponíveis imediatamente. A depressão máxima é de -5 ° enquanto a elevação máxima é de + 15 °.

Como armamento secundário, é equipado com uma metralhadora coaxial PKT, de 7,62 mm.

A torre do Sprut-SD (Volgograd)

A suspensão é tipo hidropneumático, o que garante boa estabilidade e capacidade de superar obstáculos de 0,8 metros para as verticais e 2,8 metros para as valas.

A proteção é garantida por uma blindagem de alumínio e composta, para não sobrecarregar excessivamente o veículo. O arco frontal e os 40° para a direita e esquerda oferecem proteção contra armas de 23 mm a uma distância de 500 metros e contra o fogo de armas pequenas.

A tripulação é composta por três membros (piloto, capitão e artilheiro).

Até agora, o único operador é a Rússia, onde vinte e quatro (24) Sprut-SD entraram em serviço nas suas forças aerotransportadas (VDV, Vozdushno-Desantnye Vojska). Ordens subsequentes foram canceladas e, já em 2013, VDV encomendou um novo caça-tanques baseado no chassi do BMD-4 armado com o canhão 2A46M de 125 mm, o mesmo que equipa o Carro de Combate T-90.

 

Tipo 15

O Tipo 15, também conhecido como ZTQ-15, é um carro de combate leve equipado com um motor diesel de 1.000 hp, com relação peso-potência a 30,36 hp/ton. O armamento consiste em um canhão de 105 mm com carregamento automático e uma metralhadora de controle remoto de 12,7 mm. É possível montar elementos de blindagem reativa usando um kit especial.

Comparado com o chinês Tipo 15, que pesa 33 toneladas (36 ton com o kit de blindagem adicional), o Sprut-SD possui maior mobilidade graças a uma baixa pressão no chão.

Blindados Tipo 15 do exército chinês treinando em no Tibete

 

8 Comentários

  1. Me parece que são veículos de mesma classe, mas projetados de maneira totalmente diferentes. O Sprut parece ser uma adaptação de um VBTP para caça-carros, enquanto o Type15 foi pensado inicialmente para a função de combate, apesar de ser um tanque leve, o que é diferente de caça-carros.

    Com certeza o Sprut é muito melhor armado e tem a vantagem de ser anfíbio, característica herdada do BMP-3, e acredito que os dois tenham “auto-loaders”, já que esse tipo de acessório faz parte da doutrina tanto da Rússia quanto China.

    Penso ainda que o Type-15 tenha uma blindagem modular mais dinâmica, por ter essa ideia já pensada no início do projeto, algo que provavelmente deva ser adaptado ao Sprut justamente por ele derivar de algo que não tinha isso em mente (BMP-3).

    No mais acho que as coisas estão esquentando bem rápido lá, apesar dos dois países recentemente terem retirado tropas das fronteiras.

  2. O Type 15 eu já conhecia e acho um belo projeto ,bem atual mas o Sprut é uma grata surpresa, um caça tanques genuíno e muito bem armado , 18 t e com canhão de 125 mm que ainda lança mísseis ,uau !!!

    Obs. Bastos no sexto parágrafo está escrito que ele leva 40 “fotos” confere ,não seriam projéteis???

  3. Acabei de ler aqui,ao pesquisar , que o Sprut SDM1, mais novo, já tem torre remotamente controlada com metralhadora 7,62 e incrementos advindos da tecnologia do BMD-4M e do T-90MS, show.

  4. O 2S25 é basicamente um BMD 4M anabolizado, além de ser anfíbio provavelmente é aerotransportado o que lhe confere uma característica tatíca muito boa ! Mas como a realidade não é um “SUPERTRUNFO” apenas sua avaliação em combate poderá dizer qual é o melhor para aquele TO.

  5. Interessante o Sprut ter iluminadores ainda, seriam apenas de luz branca ou infravermelho ? De todo modo é um sistema bem arcaico, estranho ainda fazer parte de veículos russos, ainda mais lançados há pouco tempo.

  6. Além dos “caça-tanques” a Índia deveria sim é comprar muitos misseis Javelin, esse sim deixaria a China extremamente preocupada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here