IMBEL entrega o Sistema Gênesis para o Exército

No dia 7 de junho, por ocasião das comemorações ao Dia da Artilharia conduzidas pelo Comando de Artilharia do Exército (Cmdo Art Ex), foi realizada a entrega simbólica do Sistema Gênesis ao Exército Brasileiro (EB), um sistema computadorizado de direção e coordenação de tiro, Nível Brigada, desenvolvido e produzido pela Indústria de Material Bélico do Brasil (IMBEL).

O Sistema Gênesis, denominado Sistema Digitalizado de Artilharia de Campanha (SISDAC) pelo EB, representa um salto tecnológico para a Força Terrestre por conferir maior eficiência na busca de alvos e garantir agilidade e precisão no desencadeamento de fogos, colocando a Artilharia brasileira no mesmo patamar de similares dos países detentores dessa tecnologia.

Os eventos aconteceram no Forte Santa Bárbara, em Formosa (GO), sede do Cmdo Art Ex, incluindo a realização de tiro real com o emprego do SISDAC, que contou com o apoio do 3º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado (3°GAC Ap), o “Regimento Mallet”, sediado em Santa Maria (RS), que deslocou para o local duas VBCOAP 155mm M109A5+BR, três VBTP M113BR e uma VBE Posto de Comando M577A2.

A demonstração de tiro recebeu a denominação “Operação PARANHOS”, em homenagem ao idealizador e um dos principais responsáveis pelo sucesso do Projeto Gênesis, o coronel QEM Claudio Nossar PARANHOS Junior, falecido em janeiro de 2021 e que por quase vinte anos serviu na Fábrica de Material de Comunicações e Eletrônica (FMCE) da IMBEL, assumindo a sua chefia no período de 2011 a 2016.

O desenvolvimento do Sistema Gênesis contou com a efetiva participação da Artilharia Divisionária da 1ª Divisão de Exército (AD/1), do Curso de Artilharia da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), do 3° e 5º GAC Ap, o último sediado em Curitiba(PR), cujas sugestões técnicas e operacionais resultantes do emprego dos equipamentos em seus exercícios e simulações permitiram incorporar importantes aperfeiçoamentos ao Sistema.

A cerimônia da entrega simbólica é um marco na evolução doutrinária da “Arma dos fogos largos, densos e profundos”, servindo para reforçar a importância da IMBEL para a autonomia estratégica das Forças Armadas do Brasil, uma Empresa inteiramente nacional que disponibiliza produtos de qualidade com alto valor tecnológico agregado, fomenta a Base Industrial de Defesa e gera milhares de empregos diretos e indiretos.

Fonte: IMBEL

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

A AVIBRAS Indústria Aeroespacial S/A, que em tempos passados foi considerada uma das maiores empresas  de defesa do mundo, mas...

Empresas brasileiras destacam inovações e capacidades no cenário internacional A Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança...

Para celebrar os feitos dos mais de 25 mil homens e mulheres brasileiros que lutaram na 2ª Guerra Mundial, o...

Desde 1º de janeiro de 2023, o dr. Artur José Dian ocupa o cargo de Delegado-Geral da Polícia Civil do...

Comentários

8 respostas

  1. Excelente, um equipamento de ponta para nossas tropas, agora falta substituir os antigos M101 de 105mm e os m114 de 155m, estão muito obsoletos.

    1. Sim, esses equipamentos estão arcaicos!
      A tecnologia, com produtos nacionais, devem ser priorizados; para que não aja dependência externa!

  2. Desenvolver tecnologia própria é muito bom e deve contínua para não dependermos de ninguém. PARABENS A TODOS!

  3. Por quais produtos? A grande maioria deles são de fabricação norte-americana e se não obtivermos através de algum programa estilo FMS, teremos um custo muito alto pra repor…

  4. A Artilharia que é a deusa dos campos de batalha, no Brasil está sempre algumas décadas ou séculos atrasada. é com o fogo que é feita a guerra.este sistema que está sendo entregue agora ao exército os outros países já têm faz tempo e só foi possível gracas ao esforço visão e abnegação de alguns poucos dedicados trabalhadores como o coronel Paranhos e suas equipes.este sistema poderia ser usado pela marinha de guerra e aeronáutica.

  5. Parabéns a nossa amada força terrestre, cada vez mais buscando evoluir para se mostrar em boas condições de combate frente ao inimigo em defesa da pátria.
    Brasil…

  6. Fico feliz em saber que a empresa na qual atuo desenvolveu um sistema muito importanate para fortalece as nosas forças, sem contar com as outras importantes materiais bélicos que desenvolovemos. Parabéns IMBEL.

  7. excelente. porem se não substituirem os M101 e M114 vão fechar 100 anos em serviço. O material cumpre missão mas baixa a moral da tropa. Perdemos os M119 que foram pra Ucrânia e se continuarem dormindo vamos ficar sem opções pra 11 grupos com M101 e 6 grupos vom M114.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL