IAI apresenta o sucesso comercial de seus “drones suicidas”  

0
1315
IAI HAROP, versão naval (Imagem: IAI)

No dia primeiro de fevereiro, a Israel Aerospace Industries (IAI) anunciou a assinatura de três contratos significativos, avaliados em mais de US$ 100 milhões de dólares, para o fornecimento de seus sistemas de munição autônomas (loitering munitions) ROTEM e HAROP, na versão naval e terrestre, para clientes na Ásia.

Boaz Levy, presidente e CEO da IAI, disse: “A IAI é uma pioneira global no desenvolvimento do conceito operacional de sistemas de munições autônomas, que amadureceu para uma família de sistemas de ataques únicos e precisos. Esses sistemas, que agregaram conquistas impressionantes à capacidade operacional das forças de combate em todo o mundo, constituem componentes de ataque centrais e decisivos para os campos de batalha avançados do futuro. Esses contratos são mais uma prova da importância e da confiança que os exércitos modernos colocam em sistemas de munição precisos como parte de seu arsenal e podem ser arautos de atividades comerciais adicionais neste campo. A IAI continuará a desenvolver e melhorar uma gama de sistemas de ataque a fim de dar aos seus clientes, em todo o mundo, uma solução operacional precisa.”

ROTEM VTOL

IAI ROTEM VTOL (Imagem: IAI)

O ROTEM é o primeiro sistema Munição de vaga baseada em uma plataforma multirotor leve (drone quadricoptero), de decolagem e pouso vertical (VTOL), com comprovado uso em operações de combate por vários militares do mundo. É um multiplicador de poder para forças táticas no campo de batalha.

O sistema é multifunção, pois possui um envelope de reconhecimento e observação, com a utilização de câmeras diurnas/noturnas, e ataque, com uma ogiva de até 1,2 kg, sendo projetado para realizar missões combinadas de coleta de inteligência e ataque, com desempenho autônomo máximo, integrando uma interface de operação simples e intuitiva, que pode ser usada por um único operador, a partir de um tablet touchscreen.

O sistema incorpora um mecanismo de segurança único, que permite seu retorno seguro ao combatente no solo, caso um ataque não seja realizado, e provou sua eficácia operacional para ataques cirúrgicos e precisos contra uma variedade de alvos diferentes.

Ataque suicida do ROTEM

 

HAROP

O HAROP é um sistema de armas guiado ou autônomo projetado para localizar e atacar alvos de alto valor com precisão, combinando as características de um míssil e um UAV (Unmanned Aerial Vehicle) e permitindo a execução eficaz da missão sem depender de outros sistemas externos para seleção de alvos e inteligência de missão.

Antes de seu lançamento, seu operador o envia um ou mais HAROP para uma “área de espera” pré-definida, onde ficam patrulhando de forma autônoma, buscando os alvos definidos previamente e, ao localizar, mergulha em sua direção e detona sai ogiva de até 16 kg. O operador também pode fazer o monitoramento das câmeras, selecionando manualmente os alvos e, se necessário, pode abortar o ataque e selecionar outro alvo.

É equipado com câmeras diurnas/noturnas e tem a capacidade de localizar, analisar e atacar, com a máxima precisão, alvos estáticos e móveis, em terra ou no mar e também a longa distância. Um ataque pode ocorrer de qualquer direção e em qualquer ângulo de ataque.

Lançamento da versão terrestre do HAROP (Imagem: IAI)

A versão naval do HAROP utiliza o mesmo princípio, fornecendo uma grande capacidade ofensiva a navios de diversos portes, desde pequenos navios patrulhas a grandes fragatas, dando aos seus comandantes a capacidade de coletar informações de forma independente avaliar alvos e atacar. As informações coletadas são integradas a sala de controle do navio, permitindo uma tomada de decisão rápida, precisa e letal.

O uso do HAROP em plataformas navais é uma alternativa operacional e pode complementar o uso de mísseis mar-mar, com ampla gama de utilizações e ótima relação custo-benefício para seus operadores. Sua A eficácia comprovada do em combates marítimos e terrestres fornece uma solução operacional para uma variedade de cenários de conflito de baixa e alta intensidade e para atividades antiterrorismo.

A família de munições autônomas desenvolvida pela IAI inclui a Harpy-NG, a terceira geração do sistema de ataque a radares, e os táticos Mini Harpy (eletro-óptico + buscador antirradiação) e Green Dragon.

O Mini Harpy atacando uma estação de radar móvel (Imagem: IAI)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here