Guarani enviado à Argentina

21
4600

O Exército Brasileiro (EB) cedeu, por empréstimo de 30 dias, uma viatura blindada de transporte de pessoal – média sobre rodas (VBTP-MSR) 6X6 Guarani para o Exército Argentino (EA) avaliá-la para o programa VCBR (“Vehículo de Combate Blindado a Rueda”). Toda a negociação para esta missão foi feita entre a empresa Iveco Defence Vehicles e o EA, sem qualquer custo para o EB.

A viatura selecionada pertence ao 5º Regimento de Cavalaria Mecanizado (5º RC Mec), da cidade de Quaraí (RS), matricula EB51356 (S/N 366), e está equipada com um sistema de armas remotamente controlado (SARC) REMAX (S/N LP112).

O veículo enviado passou por seu processo de manutenção

No dia 13 de maio, a viatura foi transportada pelo 22º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado (22º GAC AP) para a base de apoio logístico da Iveco existente no 8º Regimento de Cavalaria Mecanizado (8º RC Mec), em Uruguaiana (RS), e hoje, dia 25, as 8:00hs, foi levada até a divisa com a Argentina, na Aduana de Uruguaiana / Paso de los Libres, e transferida para um transporte do EA, para ser conduzida até o “Campo de Mayo”, na Província de Buenos Aires.

A ideia inicial é apresentar o carro oficialmente na cerimônia comemorativa ao dia do Exército, em 29 de maio mas devido aos problemas causados pela pandemia do Covid-19, esses planos devem ser alterados. A avaliação está prevista para ocorrer no “Campo de Mayo” e no campo de provas do Regimento de Infantaria Mecanizada 3 General Belgrano (RIMec 3).

Momento da travessia da ponte que liga o Brasil e a Argentina (Imagem: instagram da 2ª Bda C Mec)

Durantes os testes, uma guarnição do 5º RC Mec, composta por um capitão, dois sargentos mecânicos (especialistas na viatura e no SARC) e um cabo motorista, acompanharão a viatura, mas a equipe brasileira também contará com um capitão-engenheiro da Comissão de Absorção de Conhecimentos e de Transferência de Tecnologia na Iveco (CACTTIV), pertencente à Diretoria de Fabricação (DF) do EB, e técnicos das empresas Iveco  e Ares Aeroespacial e Defesa, para prestar suporte técnico.

O programa VCBR visa adquirir uma quantidade de blindados sobre rodas e atender a compromissos assumidos na criação da Força de Paz Binacional Cruz del Sur, com o Chile. O Guarani é um dos candidatos mas, ao contrário do divulgado, ainda não há uma data para sua definição.

Essa é a segunda vez que o Guarani é enviado para testes na Argentina. Na primeira, em 2012, foi enviado um exemplar de pré-serie com torre manual Platt (imagem: Roberto Arias Malatesta)

 

Copyright © 2021 todos os direitos reservados

Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou transmitida em qualquer forma ou por qualquer meio, eletrônica ou mecanicamente, exceto nos termos permitidos pela lei, sem a autorização prévia e expressa do titular do direito de autor.

21 Comentários

  1. Vão entregar o veículo e os hermanos vão desmontar de cima a baixo para verificar os pontos fracos. No final vão descartar o Guarani com a velha desculpa de “queremos um “8×8”.

    Vão deixar a REMAX nas mãos dos hermanos. Lembro que eles estão tentando projetar uma RWS faz alguns anos. Vão desmontar, fotografar e copiar tudo que for necessário para o projeto deles.

    • Cara? Você está lúcido? Acha mesmo que com uma DELEGAÇÃO BRASILEIRA no LOCAL, lá, os caras vão ter essa audácia? Meu Deus do céu… que loucura.

      • Wellington, já vi esse pessoal fazer muitas coisas com os nossos produtos enviados para demonstração. Depois devolvem dizendo que os mesmos não atendem aos seus “altos requisitos”. E não foi uma vez só! Como sempre, espero estar (muito) errado desta vez.

      • Welington , tem dois ai que so pode esta sobre efeito de alucinógenos…
        o Cara nem deve ter lido o texo… que viagem.

      • Na vdd vai ter uma equipe secreta chinesa lá para fazer a engenharia reversa de madrugada quando estiverem todos dormindo.

      • Só gostaria que vcs dois pudessem explicar como os argentinos conseguiriam desmontar, copiar e remontar tudo em 30 dias e com uma equipe de militares brasileiros acompanhando a viatura e ainda, talvez mais importante, uma equipe da Iveco junto. Que maluquice.

    • Não faz sentido nenhuma das possíveis situações que você apontou.

      A Argentina pretende avaliar o Guarani, no próprio território, apresentado para um maior número de técnico e usuários. Vários países, durante processos diferentes de avaliação antes da compra, seguem o mesmo procedimento.

      Referente ao REMAX, ninguém vai deixar nada porque não será enviada. Pela que consta na matéria, apenas o veículo será enviado para avaliação.

      Importante entender também que nenhum dos dois equipamentos possuem um diferencial tecnológico. Ambos foram construídos com especificações do EB, em solo nacional e, devido a algumas questões, são mais baratos que seus concorrentes internacionais. Principalmente o Guarani. Este é o principal diferencial dele!

      Bastos: Uma pena não terem enviado o veículo aerotransportado pelo KC-390. A propaganda estaria quase completa!

      • MMerlin, concordo com tudo que vc escreveu, mas no texto fala que o Guarani foi enviado com um Sistema de Armas Remotamente Controlado (SARC) REMAX Está no segundo parágrafo do texto.

      • Uma correção a REMAX e um projeto desenvolvido pelo o CTEX, Aonde a Ares somente a produz.
        Em relação ao Guarani você está certo foi um projeto construído de acordo
        com as especificações do EB

        • Segundo informações, ambos os projetos foram desenvolvidos pelo EB, com o DCT para o Guarani e o CTEX para a REMAX, com parceria e produção com empresa terceira (IVECO e ARES respectivamente).
          Ambos sem dúvida com royalties para o EB.
          Lembrando o pessoal que o motor é um IVECO produzido na Argentina.
          A chance da negociação prosperar é razoável.
          Já fui algumas vezes para a fábrica da FIAT, em Córdoba, e, por lá, a parceria entre as indústrias e economias de ambos os países sempre foi vista como essencial para o crescimento de ambos os países.

  2. Opaaa será que agora vai???? pena que a Argentina ta com dificuldade financeira, o projeto 8×8 com torre de 105/120 se tivesse desenvolvimento compartilhado com os argentinos atenderia uma necessidade dos dois países…… pena que so em sonhos uma parceria dessa ter financiamento, um caçador projetado para os nosso pampas e america do sul

  3. Uai mas os hermanos não estão querendo apenas 8×8 ,o Guarani já não estava basicamente descartado??? Nada como um dia após o outro!!!!

  4. Essa novela de novo ? Já cansei de dizer que esses “pé rapados” não vão comprar Po**a nenhuma ! Estão falidos, passando fome e o governo é contra os militares. Isso aí não vai dar em nada. Perda de tempo !

    • Pelo visto você não sabe de nada. O atual governo argentino já está fazendo mais que o seu antecessor no meio militar.

  5. A questão é o preço. Foram vencidos pelo preço. O chinês barato não tem qualidade. O americano 8×8 é carissimo. Sobrou o intermediário. É provavel que desta vez comprem pois estão no limite. So espero que não seja outro calote. Esta será a segunda avaliação do guarani na argentina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here