ÁREA DO CLIENTE

Governo britânico dá sinal verde para o programa AJAX

Por Aurelio Giansiracusa, Ares Osservatorio Difesa (*)

Depois de estar prestes a ser cancelado, devido à incapacidade de atender a uma série de requisitos, e de ter passado do por extensas modificações, o polêmico veículo de combate de Infantaria Ajax agora parece estar caminhando para a produção.

O Ajax acabou por ficar no centro de uma grande polêmica porque, entre os vários problemas que surgiram, estava o da vibração e do ruído ensurdecedor produzido que causava até danos auditivos permanentes às tripulações que o testaram inicialmente.

A partir daí surgiu uma disputa entre o Ministério da Defesa do Reino Unido e a indústria sobre quem deveria pagar pelas profundas mudanças solicitadas, com a ameaça não muito velada de cancelamento de todo o programa, que tem repetidamente ido parar na mira do órgão de controle parlamentar do às contas devido aos custos cada vez mais elevados e aos prazos não respeitados.

Agora, o secretário de Defesa, Ben Wallace, anunciou que a maioria dos problemas foi resolvida ou está em processo de resolução e que os testes de aumento de confiabilidade continuam progredindo bem, testando a durabilidade da plataforma e dos componentes em uma série de missões no campo de batalha.

Todas as variantes do Ajax, desde a retomada dos testes, percorreram mais de 2.200 km em diferentes terrenos, obtendo dados significativos para completar o desenvolvimento dos diferentes modelos que serão utilizados pelo Exército Britânico em 589 unidades produzidas pela General Dynamics European Land Systems (GDLS), em Merthyr Tydfil.

Dados os problemas que surgiram, os planos atualizados preveem que a capacidade operacional inicial (IOC) será alcançada entre julho e dezembro de 2025, fornecendo um esquadrão Ajax treinado e operacional que pode ser apoiado em operações por até seis meses.

A obtenção de sua capacidade operacional plena (“full operational capability” – FOC) está prevista para ocorrer entre outubro de 2028 e setembro de 2029, quando o Exército Britânico terminar de treinar e converter as unidades destinadas a operar na nova plataforma, para fornecer capacidades de cavalaria blindada à 1st Deep Reconnaissance Strike Brigade.

Images: General Dynamics UK

 

(*) Ares Osservatorio Difesa é uma associação cultural italiana, fundada em 12 de abril de 2019, em Roma, para a análise e estudo de questões nacionais e internacionais relacionadas às áreas de defesa e segurança, e parceira de Tecnologia & Defesa no intercâmbio de informações, para manter os leitores atualizados das notícias importantes que ocorrem entre os dois países.

COMPARTILHE

Respostas de 2

  1. Os caras já estavam muito bem na área de blindados de transporte e combate de infantaria, através do seu Warrior IFV. Mas os anglos, deram um passo ainda mais adiante com esse novo veiculo!
    A partir de agora, muitos programas militares, dos países da OTAN, vão dar uma grande acelerada, tendo em vista o que esta acontecendo no leste europeu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *