Fuzileiros Navais dos Estados Unidos aposentam seus AH-1W Super Cobra

O Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos (United States Marine Corps – USMC), retirou oficialmente o Bell AH-1W “Super Cobra” de suas fileiras após mais de 30 anos de serviço. A icônica aeronave de duas lâminas serviu como helicóptero de ataque dedicado para os fuzileiros navais em várias campanhas, incluindo as operações Desert Storm, Iraqi Freedom e Enduring Freedom.

“O AH-1W Super Cobra serviu admiravelmente e deixa um legado notável de pontualidade no apoio de helicópteros de ataque no alvo para nossos fuzileiros navais”, disse o coronel David Walsh, gerente de programas de helicópteros leves de ataque (PMA-276). “Embora o capítulo AH-1W esteja terminando, o AH-1Z Viper está pronto com capacidade ainda maior para apoiar nossos fuzileiros navais nos próximos anos.”

Originalmente designado como AH-1T +, o Super Cobra voou pela primeira vez em 16 de novembro de 1983 no Bell’s Flight Research Center, em Arlington, Texas. Bell entregou os primeiros AH-1W aos fuzileiros navais em 27 de março de 1986 e a última em 1999, para uma frota doméstica de 179 helicópteros de ataque. Até agosto de 2020, o USMC voou com o Super Cobra por 933.614 horas.

“Estamos extremamente orgulhosos das capacidades que o AH-1W trouxe para os fuzileiros navais dos Estados Unidos nos últimos 34 anos”, disse Michael Deslatte, gerente do programa H-1 Bell. “O tremendo legado do Super Cobra é uma prova da excelência e dedicação que os homens e mulheres da Bell colocaram nessas plataformas por gerações e esperamos continuar esse legado nos próximos anos.”

Os AH-1Ws remanufaturados em AH-1Z Vipers continuarão a servir na Marinha dos Estados Unidos. O Viper de quatro lâminas substitui o Super Cobra como o sucessor da moderna plataforma de helicópteros de ataque e fornece recursos ar-ar e anti-blindados totalmente integrados, projetados para realizar com sucesso a mais ampla gama de missões contemporâneas.

Fonte: Bell Helicopter

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Santiago Rivas (*) Na manhã de hoje, 16 de abril, foi finalmente assinado o contrato de aquisição das 24 aeronaves...

O Estado-Maior do Exército, por meio da portaria 1.294-EME/C Ex, de 03 de abril de 2024, aprovou a diretriz de...

Com o objetivo de desenvolver sistemas de alta tecnologia de propulsão e de  aeronaves não tripuladas, está sendo anunciada a...

De todas as novidades da FIDAE 2024, definitivamente a que mais surpreendeu o público não foi a vinda do caça...

Comentários

6 respostas

  1. Boa tarde amigo Paulo Bastos o senhor poderia me dizer
    se a MB poderá comprar helicopteros super cobra dos EUA?

    2-Amigo Paulo o senhor sabe quantos blindados Guarani 6×6 ja foram entregues ao EB?

    obrigado

    1. Sobre a MB com os Super Cobras, eu desconheço qualquer intenção, se clicar nas TAGs do artigo (na parte de baixo), principalmente a referente ao AH-1, verá que houveram diversos contatos para aquisição pelo Brasil, mas com o EB.
      Sobre os Guarani, operacionais, são entre 370 e 380 veículos.

  2. Helicóptero provado em combate, seria de grande valia PH Atlântico dando cobertura aerea fuzileiros, EB para apoio adere CAS e para fab CSAR. Criando doutrina na força em operação heli ataque, daí possibilitando aquisição de pássaros novos. Lembro que obrigatoriamente deveriam, caso adquiridos, passar por revitalização e atualização tecnológica pois os mesmos, me parecem ainda ter eletrônica analógica.

  3. Bom Dia Paulo Roberto Bastos Jr,não seria uma boa hora para o Brasil adquirir alguns H-1W super cobras agora através do FMS,para o EB,a FAB e os Fuzileiros Navais?

    1. Acho que primeiro temos que definir uma doutrina de utilização desse tipo de sistema de armas pelo EB e MB, para depois, somente depois, adquirir o vetor que mais nos convêm.
      Comprar um sistema de armas sofisticado (e caro) como este, sem saber como utiliza-lo, em minha humilde opinião, é jogar dinheiro fora…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EM BREVE