FREMM para a US NAVY! Fincantieri/Marinette Marine vencem disputa!

O mais novo combatente de superfície da Marinha dos EUA tem herança italiana, anunciou a Marinha dos Estados Unidos (US Navy) na última quinta-feira (30/04).

Em uma grande vitória no estaleiro Marinette Marine, em Wisconsin, a Marinha Norte-Americana selecionou o design FREMM da Fincantieri, um acrônimo que significa “fragata multiuso européia“, em seu italiano original.

O estaleiro, que também está no páreo para a construção dos restantes navios de combate costeiro mono-casco e uma versão fragata para a Arábia Saudita, é agora um dos principais atores na construção naval da US Navy.

O contrato detalhado de projeto e construção, no valor de US $ 795,1 milhões, abrange o trabalho de design e o primeiro navio, além de opções para até nove outros.

O valor total do contrato, se todas as opções forem exercidas, será de US $ 5,58 bilhões. Espera-se que o contrato seja renovado após os 10 primeiros navios.

 

A Marinha está fornecendo uma parte significativa do equipamento selecionado pelo governo, incluindo uma variante do radar AN / SPY-6 destinado aos destróieres da classe Flight III Arleigh Burke em construção, e esses custos não estão incluídos nos US $ 5,58 bilhões.

O estaleiro italiano Fincantieri fez uma campanha árdua para vencer o contrato, levando uma fragata FREMM aos Estados Unidos para atuar com navios dos EUA ao largo da costa.

A vitória supera os desafios da Huntington Ingalls Industries, da General Dynamics Bath Iron Works com o design F100 da Navantia e da Austal USA com uma versão aprimorada de seu navio de combate litorâneo catamarã (trimarã).

De acordo com os documentos orçamentários para 2021, o contrato está planejando concluir o projeto e a construção do navio em 2026. A segunda fragata deverá ser encomendada em abril de 2021 e, a partir daí, cada nova fragata da série deverá ser entregue cerca de cinco anos e meio após a data da concessão.

Em outras palavras, o primeiro navio deve ser entregue à frota em julho de 2026 e o ​​segundo cerca de três meses depois.

O FFG (X) é a proposta para a Marinha dos Estados Unidos (US Navy) de um navio multi-missão equipado com uma versão modificada do radar SPY-6 da Raytheon (mesmo sensor do destróier da classe Flight III Arleigh Burke), o sistema de combate Aegis da Lockheed Martin, bem como alguns sistemas de defesa de ponto.

O armamento principal contará de 32 células de lançamento vertical para mísseis VLS.MK41S, tudo isso por cerca da metade do custo de um DDG.

É claro que, sem saber como serão os desenhos detalhados finais, estimativas de preços firmes são impossíveis, mas o Pentágono tem algumas projeções. O primeiro navio encomendado em 2020 deve custar US $ 1,28 bilhão, de acordo com documentos orçamentários.

A compra deveria ser um navio no EF20, depois duas embarcações por ano até que a lista completa de 20 navios estivesse concluída.

Mas a Marinha queria ter certeza de que escalonaria a compra de maneira mais responsável, disse o contra-almirante Randy Crites, vice-secretário assistente da Marinha para orçamento, em seu lançamento do orçamento para 2021 no início deste ano. “Não queremos repetir algumas das lições do LCS em que aprendemos rápido demais”, disse Crites. “Teremos oito fragatas em construção quando entregarmos a primeira em 2026”.

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Variante com uma nova torre é  apresentada na feira de Paris A BAE Systems está apresentando o CV90MkIV com uma...

Na quarta-feira (12), o mercado de defesa se agitou com a notícia divulgada pelo portal britânico Janes de que o...

A AVIBRAS Indústria Aeroespacial S/A, que em tempos passados foi considerada uma das maiores empresas  de defesa do mundo, mas...

Empresas brasileiras destacam inovações e capacidades no cenário internacional A Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança...

Comentários

Uma resposta

  1. Pois é, vejam o exemplo Americano.
    Mesmo comprando a plataforma de superfície estão dotando a mesma de inúmeros sensores e sistemas de armas norte americano.
    Aqui, compramos a plataforma e todo seu “recheio” tecnológico.
    Mesmo tendo inúmeros sensores que são úteis como Siconta, SLQ, SLDM, MAGE, SLT etc etc etc.
    Fora os sensores em término de desenvolvimento como Radar Gaivota-X, Sonap MK-2, Sonar Pushed Array , SONAP etc.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL