Força Aérea próxima de receber o KC390 em Anápolis (GO).

O programa de industrialização da aeronave multimissão KC-390, fabricado pela Embraer, teve seu cronograma detalhado por Walter Pinto Junior, Diretor do Programa.

Segundo Junior, na linha de montagem do KC390 em Gavião Peixoto, a empresa alinha atualmente seis exemplares do modelo em diferentes estágios de fabricação, identificados como FAB 01 a 06.

O primeiro,ou FAB 01, já ingressou na fase denominada de “pré primeiro voo”, quando todos os sistemas da aeronave são exaustivamente checados e conferidos.

O FAB 02 já está com suas asas montadas e o FAB 03 apresenta a fuselagem quase completa, entrando na fase de junção dos conjuntos das  asas e cauda (deriva e profundores).

O FAB 04 está no processo de montagem da fuselagem (junção) e os demais estão nos estágios iniciais.

Além destas seis células , há mais dois aviões completos, denominados 801 e 802, que estão passando por intensos testes de resistência e fadiga.

Estas duas unidades serão desmanteladas ao final do programa de testes.

Um deles alcançou recentemente a marca de 150% de esforço máximo previsto para a célula e resistiu, comprovando a robustez do aparelho.

Em 2019, os testes serão direcionados para o lançamento de cargas a baixa velocidade, transporte em situação de combate, reabastecimento aéreo de caças, helicópteros e de outro KC390, e a exposição do avião a ameaças terra-ar e ar-ar para por a prova o sistema automatizado de autoproteção.

Um programa robusto

O KC390 incorpora todos os conhecimentos tecnológicos adquiridos ao longo dos anos pela Embraer, sendo construído seguindo especificações da Força Aérea Brasileira, semelhantes as necessidades de transporte de diversas Forças Armadas nos cinco continentes.

Atualmente, duas células voam no programa de certificação, prefixos PT-ZNJ e PT-ZNG.

Uma aeronave acabou acidentada, o PT-ZNF,e está descartada.

Somando-se os dois corpos de prova e os seis exemplares na linha de montagem, tem-se um total de 11 aeronaves KC-390.

Segundo Walter Pinto Junior “A aeronave ainda não está totalmente certificada, mas as certificações atuais permitem que seja entregue a um operador militar e utilizada em suas missões, enquanto os protótipos continuam o programa de certificação. Sendo assim, a Força Aérea Brasileira irá receber duas unidades este ano, uma em cada semestre, em data ainda não divulgada pela empresa.  Não serão as duas unidades que vem participando do programa de ensaios, estes dois protótipos voarão até o final das certificações como aviões da Embraer, participando inclusive de demonstrações em Feiras de Aviação em diversos países. A previsão é que estejam entre os últimos aviões a serem entregues a FAB” finaliza o executivo.

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Durante a Eurosatory 2024, que esta ocorrendo no Centro de exposições Paris-Nord Villepinte, localizado nos arredores de Paris, a empresa...

Variante com uma nova torre é  apresentada na feira de Paris A BAE Systems está apresentando o CV90MkIV com uma...

Na quarta-feira (12), o mercado de defesa se agitou com a notícia divulgada pelo portal britânico Janes de que o...

A AVIBRAS Indústria Aeroespacial S/A, que em tempos passados foi considerada uma das maiores empresas  de defesa do mundo, mas...

Comentários

3 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL