Força Aérea Brasileira incorpora seu primeiro KC-30

No final da manha de hoje, dia 26 de julho, na ALA 11, Base Aérea do Galeão, foi realizada a cerimônia de incorporação da aeronave KC-30 FAB 2901 (Airbus A330-200) à Força Aérea Brasileira (FAB).

O vetor, o maior em operação na FAB, com capacidade conduzir 250 passageiros e voar até 8.000 milhas náuticas (cerca de 14.800 km),  será operado pelo Segundo Esquadrão do Segundo Grupo de Transporte (2º/2º GT), o “Esquadrão Corsário”, garantindo um significativo incremento em sua operacionalidade com suas capacidades de reabastecimento em voo (REVO) e transporte estratégico, operacional e de ajuda humanitária, dentro e fora do país.

Esta aeronave é o primeiro exemplar adquirido do processo licitatório vencido pela empresa Azul Linhas Aéreas, dentro do projeto estratégico KC-X3, e prevê a entrega de mais uma unidade, preenchendo as lacunas da aviação de transporte estratégico surgidas após o descomissionamento dos KC-137 FAB 2401 (Boeing 707-345C-H), em 2013, e a devolução do arrendamento do KC-767 FAB 2900 (Boeing 767-300ER), em 2019.

Imagens: FAB

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Durante a HAI Heli Expo 2024, que aconteceu no final de fevereiro, nos Estados Unidos, a Safran Electronics & Defense...

Um valor em torno de U$ 400 milhões, resultante de acordo entre o grupo britânico e o Exército da Dinamarca...

As tripulações estão prontas para operar, a bordo do novo blindado, em todos os contextos operacionais. A Escola de Cavalaria...

O grupo italiano Leonardo vem registrando importantes marcas neste início de 2024. Dentre as conquistas e acordos de cooperação recentemente...

Comentários

14 respostas

  1. Olá Paulo Bastos, sabes se a Fab tem intenção de fazer dele uma plataforma para atuar como vetor para guerra eletrônica?

  2. Importante e significativa a aquisição dessas aeronaves para serem transformadas em versão MRTT. Saliento que o próprio Comandante da Força Aérea Brasileira fez questão de salientar que sim, esses vetores serão transformados em MRTT’s, pois do contrário não faria nenhum sentido adquiri-los, excluindo por completo qualquer conotação de caráter político para a utilização das aeronaves. Gosto muito da atual direção do Comando desta nossa Força assim como as demais. Apreciaria muito se esse comando adotasse os símbolos dos esquadrões além das dos grupos. Pode ser na cauda já que não virá mais a classificação dos mesmos como o “KC” se referindo a operacionalidade da aeronave. Isso foi uma excelente medida, pois forçará com que a pessoa se aprofunde no conhecimento da aeronave ao invés de achar na descrição sua função. Parabéns à FAB, ao Brasil e ao Paulo Bastos pela reportagem. Só lembrando que minha preferência pelo projeto VBC CAV 8×8 do nosso exército e pelo Centauro II, aliás muito bem descrito em reportagem do Paulo Bastos aqui. Claro que entendo que nosso exército é quem tem a palavra final, pois afinal de contas quem opera sabe as facilidades e dificuldades que terá em seu total aproveitamento operacional, mas torcida é torcida.rsrsrsrss…

    1. Sim, serão transformados em MRTT, com previsão de assinatura do contrato até o final deste ano e os trabalhos na primeira aeronave começando em 2024.
      Quanto à designação KC-30 e o fato dela não estar na cauda da aeronave acredito que seja algo temporário. Em breve, o “KC-30” deve estar lá. Todos os modelos de aeronaves da FAB possuem o designativo de tipo na cauda, junto com a matrícula de cada aeronave.

    1. Esse é o projeto KC-X3, primeira aeronave entregue, a segunda nas próximas semanas e a conversão da primeira a partir de 2024.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Disponível

DISPONÍVEL