FAB intercepta mais uma aeronave com drogas

0
770
A Aeronave com drogas sendo abordada por policiais federais em campo Grande (Foto: PF)

A Força Aérea Brasileira (FAB) interceptou, na madrugada deste domingo (20), no Mato Grosso do Sul, a aeronave Embraer EMB-810C Seneca II, prefixo PP-ETT, que transportava 465 quilos de drogas. Dois caças A-29 Super Tucano e uma aeronave E-99 da FAB foram empregados na missão, realizada em conjunto com a Polícia Federal (PF).

A aeronave estava sendo monitorada pelo Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE) e pela PF e, ao ingressar no espaço aéreo brasileiro, passou a estar sujeita às medidas previstas no Decreto 5.144, de 16 de julho de 2004.

Durante todo o processo de interceptação, o piloto da aeronave ilícita cooperou seguindo as ordens do piloto de Defesa Aérea. Foi comandada a mudança de rota e a aeronave foi escoltada pelos caças até Campo Grande (MS), onde a Polícia Federal aguardava para realizar as Medidas de Controle de Solo.

Mais uma vez, os A-29 Super Tucano, protegem os céus brasileiros

Para realizar com êxito a missão, a FAB utilizou as aeronaves A-29 com todas as suas capacidades de emprego noturno e a aeronave E-99 realizou o alerta aéreo antecipado ou AEW (do inglês “airborne early warning”) com tecnologia que permite detectar outros aviões, distinguindo, a grandes distâncias, entre aeronaves amigas ou inimigas. O emprego desta tecnologia é indispensável em um cenário de operações aéreas, em face da flexibilidade de posicionamento da aeronave juntamente com a capacidade de detecção de tráfegos à baixa altura, permitindo realizar a cobertura radar das áreas de interesse do Comando da Aeronáutica (COMAER), além do controle das aeronaves, independentemente da estrutura de Comando e Controle existente no solo.

Para o COMAE, realizar uma interceptação como esta, em período noturno, demonstra, mais uma vez, a prontidão e a operacionalidade da Força a qualquer hora do dia ou da noite.

Ação permanente

As ações desse sábado fazem parte da Operação Ostium para coibir ilícitos no espaço aéreo brasileiro, na qual atuam em conjunto a FAB e Órgãos de Segurança Pública, em cumprimento ao Decreto nº 5.144 de 16 de julho de 2004.

Aeronave E-99 AEW&C do Esquadrão Guardião.

Texto: tenente Emília Maria / CECOMSAER

1 Comentário

  1. O piloto acatou a ordem e aterrisou em CG, o responsável foi apreendido pela PF? Geralmente eles fogem e aterrisam em campo aberto para poder empreender fuga ou se livrar da carga. No comunicado não existe este detalhamento, ficaria interessante esta condição…Bom trabalho integrado.

  2. Segundo o Roberto Godoy no Estadão, sim, o piloto está preso por acusação de tráfico de drogas. Não houve necessidade de maiores elevações das medidas de abordagem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here