FAB instala Controle de Aproximação em Surucucu

Por Agência Força Aérea

Neste domingo, 29/01, a fim de potencializar o trabalho realizado na região de Surucucu (RR), onde comunidades indígenas encontram-se assoladas por uma grave crise sanitária, a Força Aérea Brasileira (FAB) instalou o Controle por Aproximação (APP) para aumentar a segurança do espaço aéreo na região, que vem recebendo um grande fluxo de aeronaves da FAB e também do Exército Brasileiro (EB), atuantes nesta missão de ajuda humanitária.

A montagem da estrutura teve início no sábado, dia 28/01, com a primeira visita das equipes técnicas e operacionais, na qual foram indicadas ações de aprimoramento do sistema de fornecimento de energia, da pista, do pátio, da sinalização e do sistema de combate a incêndio.

E, foi finalizada com as instalações de todos os equipamentos de comunicação, telefonia e meteorologia, necessários ao controle do tráfego aéreo, havendo, desta maneira, o controle de três aeronaves: dois C-98 Caravan e um H-60 Black Hawk.

Sob coordenação do Quarto Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA IV), a missão foi acionada após relatos de que a operação no Aeródromo de Surucucu estava apresentando elevado fluxo de aeronaves em apoio à Operação Yanomami. “No mesmo dia, iniciamos a mobilização de uma equipe constituída por 11 profissionais. O Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), disponibilizou prontamente os meios aéreos e militares para realizar o deslocamento para Surucucu, de forma a contribuir com a segurança do espaço aéreo na região”, explicou o Coordenador da missão de instalação do APP em Surucucu, capitão Antônio Gilson Novaes Cardoso da Silveira.

O CINDACTA IV, por meio da Subdivisão de Gerenciamento de Tráfego Aéreo (ATM, do inglês Air Traffic Management) disponibilizou a utilização do procedimento de aproximação RNP, que utiliza a capacidade aeroembarcada e permite a operação de aeronaves dentro de um “caminho de voo” específico, com garantia de monitoramento contínuo da posição – de Surucucu, o que tem sido fundamental neste período.

Controle de Tráfego Aéreo, Meteorologia e Informações Aeronáuticas

Controlar o espaço aéreo, bem como o tráfego de aeronaves é imprescindível para a manutenção da segurança das operações aéreas. Tais recursos viabilizam a ordenação temporal dos voos, provendo agilidade e eficiência no fluxo de aeronaves.

O Comando da Aeronáutica, para fins de prestação dos serviços de tráfego aéreo no Brasil, segue as normas e métodos recomendados pela Organização de Aviação Civil Internacional (OACI).

Texto: tenente Eniele Santos / Agência Força Aérea
Fotos: CINDACTA IV

 

 

Veja também

Operação Yanomami – O estratégico aeródromo de Surucucu

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

A Comissão do Exército Brasileiro em Washington (CEBW) publicou, na última sexta-feira, dia 19 de abril, um pedido de cotação...

O crescimento da Base Industrial de Defesa e Segurança Pública (BIDS) torna esse setor ainda mais estratégico e relevante para...

Em comemoração a semana do Exército, o Comando Militar do Sudeste (CMSE) está organizando uma série de eventos na Capital Paulista,...

O Ministério da Defesa (MinDef), por meio da Secretaria de Produtos de Defesa (SeProD), acompanhou, entre os dias 15 a...

Comentários

2 respostas

  1. Até que enfim as pistas da Amazônia estão ganhando procedimentos RNAV/RNP! Isso já deveria ter sido feito, porque o custo basicamente é de uma inspeção de voo do GEIV.

  2. Surucucu tem que receber um restruturação geral, com construção de HANGAR físico e instalações de mantimento permitindo assim uma permanência 24hrs 365dias ( quando for necessário) pois essa região/fronteira é a mais “quente” atualmente e temos que focar em estrutura-la tanto para o bem dos brasileiros que la vivem quanto pra o futuro da proteção da nação.

    A instalação uma Estação Radar similar a posta em Ponta Porã (MS). O ministério da defesa tem que parar de babar ovo da região sul, os países daqui são nosso aliados e não oferecem mais ameaça no futuro próximo temos que forcar no norte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL