FAB inicia a despedida do C-130 Hercules

A Força Aérea Brasileira (FAB) está se preparando para o fim de uma era nas suas fileiras. Em fevereiro, o clássico, venerável e consagrado Lockheed C-130M Hercules será desativado após 60 anos de operação, caracterizando-se, assim, como a aeronave mais longeva em serviço na instituição.

A chegada do Hercules, em 1964, transformou as capacidades de transporte aerologístico da FAB. Do transporte de pessoas, de cargas, de tropas, o lançamento de paraquedistas, combate a incêndio, reabastecimento em voo, o reconhecimento, a busca e salvamento e os voos antárticos foram os leques de missões das quais esse lendário turboélice quadrimotor realizou no Brasil e no exterior.

A sua história e operação transcende à Força e se mistura com a integração nacional, nas quais o Hercules contribuiu apoiando missões humanitárias, de misericórdia e em diversas situações que fundiram a sua imagem aos mais variados cenários e regiões brasileiras.

Internacionalmente, contribuiu levando assistência e esperança ao fazer o resgate de pessoas, o combate a incêndios e levando alimentos e medicamentos onde era solicitado.

Nessa fase de despedida, um momento tocante foi o último lançamento de 64 paraquedistas da Brigada de Infantaria Pára-quedista do Exército Brasileiro, realizado sem muitas pompas e circunstâncias, mas com um significado muito profundo.

O voo aconteceu em 30 de janeiro passado com o FAB 2476, que dota o 1º/1º Grupo de Transporte “Esquadrão Gordo”, da Base Aérea do Galeão. A aeronave voou até a Base Aérea dos Afonsos e, sob muita emoção, comandada pelo major-brigadeiro do ar josé Madureira Júnior, comandante do III Comando Aéreo Regional (RJ), fez a sua derradeira missão com o Exército, talvez a última operacional da sua carreira. Muitos velames coloridos marcaram esse acontecimento.

Na FAB, o C-130 está sendo substituído pelo KC-390, outro projeto da Embraer que está gradativamente alcançado sucesso comercial e de operação. Hoje, tanto o 1º/1º GT quanto o 1º Grupo de Transporte de Tropas, este sediado em Anápolis (GO), estão operando com o Millenium.

 

Os C-130 verde-amarelos

O primeiro C-130E brasileiro, o FAB 2450, decolando dos EUA para o Brasil, em 1965 (Foto Lockheed)

Os três primeiros C-130E Hercules chegaram ao Brasil em agosto de1964 dotando o 1º/1º GT, seguido por outros dois em 1965. Entre 1967 e 1968 vieram mais três aviões, seguidos por outros três SC-130 em 1969 que passaram a equipar o 1º/6º GAv, o “Esquadrão Carcará”, em Recife (PE), passando a realizar voos de busca e salvamento e aerofotogrametria.

Em 1974, três C-130H e dois KC-130H foram comprados iniciando mais uma tarefa na FAB, a de reabastecimento em voo. Os tipos tinham motor mais moderno e potente comparado ao C-130E, além de APU (“auxiliary power unit”) e novos aviônicos. Essas aeronaves equiparam o 2º/1º Grupo de Transporte de Tropas, nos Afonsos.

Em 1983 foram iniciados os voos para a Antártica, com o primeiro pouso acontecendo no continente gelado em 23 de agosto daquele ano.

Em 1986, mais três C-130H foram comprados e, finalmente, em 2001, o lote final de 10 C-130H adquiridos da Itália fechando a frota de 29 aeronaves.

Em 2003, 18 exemplares em operação passaram por um profundo processo de modernização que substituiu os instrumentos analógicos por tipos telas coloridas de cristal líquido, novos sistemas de navegação, de comunicação e a instalação de uma suíte de guerra eletrônica.

Registro do ultimo salto no velho conhecido (Fotos cb Francilaine / Cmdo CML)

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Variante com uma nova torre é  apresentada na feira de Paris A BAE Systems está apresentando o CV90MkIV com uma...

Na quarta-feira (12), o mercado de defesa se agitou com a notícia divulgada pelo portal britânico Janes de que o...

A AVIBRAS Indústria Aeroespacial S/A, que em tempos passados foi considerada uma das maiores empresas  de defesa do mundo, mas...

Empresas brasileiras destacam inovações e capacidades no cenário internacional A Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança...

Comentários

8 respostas

  1. Bom descanso ao semideus e vida longa ao KC-390 e este tenha um Milenium de trabalho pela frente !!!

    1. o Destino será Reciclagem , já foram adquiridos usados da Itália, as poucas celulas que ainda estavam em voo .

      o KC130 O FAB2462 que esteve em voo até mes passado , veio de fabrica mas ja tem muitos anos de bons serviços , deve dar baixa em breve

      O FAB2476 da manteria, seu ultimo registro de voo no RADABOX, para quem gosta vale printar , este registro com tempo será apagado.

      https://www.radarbox.com/data/mode-s/E400A2

  2. Não seria viável estrategicamente ao Brasil, pois o C130 é concorrente de uma aeronave que comercializa-se aqui. Provavelmente estas células irão para museus e ou servirão de decoração em Bases.

    1. Prezado Caio
      Teu argumento procede, porém eu lembro que muitos países não podem adquirir o KC-390, mas podem comprar o Casa C-295 ou o C-27 Spartan, por exemplo. O Brasil doando ou vendendo a preço simbólico (com a aprovação dos EUA é claro) o C-130 Hércules, “reservaria” o mercado para uma futura venda do KC-390.
      Abraço

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL