FAB inaugura nova estação radar de vigilância aérea em Rondônia

A Força Aérea Brasileira (FAB) inaugurou hoje, dia 29 de setembro, a nova estação radar localizada no 1º Pelotão Especial de Fronteira (1º PEF) do Exército Brasileiro (EB), o “Real Forte Príncipe da Beira”, que fica no município de Costa Marques (RO). A estação foi entregue pela empresa de Defesa brasileira Omnisys, subsidiária do Grupo Thales, para ser usada pelo Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA) no auxílio à proteção das fronteiras do Brasil com o Paraguai e a Bolívia.

A estação de Forte Príncipe da Beira é formada por radares primário e secundário (LP23SST-NG e RSM970S). Adotando recursos e equipamentos de alta tecnologia, a estação potencializa a identificação de aeronaves voando em baixas altitudes em região de fronteira, trazendo benefícios operacionais tanto para o controle civil quanto para a defesa aérea. Além de auxiliar no controle do espaço aéreo, a nova estação vai ampliar a vigilância e o combate ao tráfego aéreo ilícito.

A associação dos radares LP23SST-NG e RSM970S oferece a melhor solução para garantir a eficácia do controle e vigilância do tráfego aéreo. O LP23SST-NG é uma nova geração de radares primários de longo alcance, capaz de detectar aeronaves cooperativas e não cooperativas. Já o RSM970S é uma geração de radar secundário de alto desempenho, que utiliza técnicas inovadoras desenvolvidas para fornecer a melhor resposta aos requisitos operacionais, garantindo total integridade e disponibilidade dos dados de vigilância e comunicação. A estação conta também com as tecnologias de altimetria que capacitam os radares para operação 3D, além de contramedidas eletrônicas.

Os radares foram fabricados no Brasil pela Omnisys, em suas instalações em São Bernardo do Campo (SP). A subsidiária do Grupo Thales também exporta suas soluções, que já estão presentes em diversos países da Europa, América Latina e Ásia. Com essa nova estação, o Grupo Thales celebra a marca de mil radares de vigilância de tráfego aéreo entregues pelo mundo, com estações em mais de 100 países, pelos cinco continentes.

Para o CEO da Omnisys, Luiz Henrique, a entrega do milésimo radar do Grupo Thales acontecer justamente no Brasil é um marco da excelente relação que a empresa construiu ao longo de sua trajetória com a Defesa do país. “É uma honra atingir esse marco com uma estação em Rondônia, solidificando a parceria da Omnisys e da Thales com um dos pilares da soberania brasileira: a defesa e segurança de suas fronteiras”, detalha Henriques.

Fonte: Omnisys / FSB Comunicação

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

No dia de hoje, 24 de maio, a Agência de Cooperação de Segurança de Defesa (Defense Security Cooperation Agency – DSCA)...

A capital turca, Istambul, foi palco de discussões sobre segurança e defesa nos dias 21, 22 e 23. A Feira...

De acordo com a portaria nº 443-COTER/C Ex, o Exército Brasileiro (EB), através do Comando de Operações Terrestres (COTER), constituiu...

Após um breve período de calmaria, que parecia que a tragédia ambiental no Sul estava chegando ao seu final, uma...

Comentários

5 respostas

  1. vi que existe um movimento político no Paraguai que está uma fera com esse programa, chamando de “anti paraguaio e racista/seletista” kkkkk parece que alguns poderosos estão deixando de receber lucros dos companheiros aviadores ilegais…

  2. Excelente iniciativa, pois Bolivia e Paraguay são hoje duas das três portas de entrada de maconha e cocaína para o Brasil e daqui vía portos (principalmente) para EUA e Europa, parece que o tráfico também está empenhado em abrir uma rota para a o sudeste asiático (via Indonésia, uma vez que tem havido muitos casos de brasileiros apreendidos lá ou à caminho daquele país).

    Agora para fechar a porteira de vez, investir no monitoramento remoto via AUV armados e uma nova encomenda de A29 (ao menos para compor dois esquadrões). Assim apoiamos os batalhões do EB na região com apoio cerrado em caso de gracejos por parte dos guerrilheiros paraguayos dos tal exército de Libertação do Paraguay e impedimos os voos ilícitos.

    Sgt Moreno (CM)

  3. apenas uma correção: CISCEA é a comissão que implantou o radar. O sistema de controle do espaço aéreo é o SISCEAB.

  4. Excelente notícia, e assim vamos cercando os narcoguerrilheiros, traficantes etc .Vamo q vamo Brasil acima de tudo e Deus acima de todos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL