ÁREA DO CLIENTE

Exército Equatoriano adquire 137 veículos blindados sobre rodas

Por Webinfomil (*)

O Exército equatoriano comprou 137 veículos blindados Shaldot Tiger MKII e Paramount MBombe 6 por 65 milhões de dólares para realizar operações militares de combate a grupos terroristas, como as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) e organizações do narcotráfico, que atuam na fronteira norte.

A aquisição foi feita através da empresa israelense Elbit Systems, que equipará os veículos com o sistema de comunicações e combate, com a  solução de rede de rádio definida por software móvel E-LynX e um conjunto de aplicativos de gerenciamento de batalha, e o mini-UAS de decolagem e pouso vertical Magni. De acordo com o contrato, a empresa Elbit Systems fornecerá ao Equador as unidades mecanizadas totalmente em rede nos próximos 30 meses.

“Estamos testemunhando um crescente reconhecimento por parte das Forças Armadas da necessidade de adquirir a capacidade de conduzir operações interoperáveis. Esta adjudicação de contrato valida ainda mais a posição de liderança que mantemos na crescente área de guerra de combate em rede”, disse Haim Delmar, gerente geral da Elbit Systems C4I & Cyber.

O Tiger é um modelo 4X4, fabricado pela empresa israelense Shladot Ltd e desenvolvido a partir do chassi do Ford F550 ou Dodge RAM 5.7. Com capacidade para transporte de 8 a 12 ocupantes, possui cinco portas e um posto de armas para fixação de metralhadoras ou lança-granadas.

Shaldot Tiger MKII

O Mbombe 6 é um veículo blindado 6X6, fabricado pela sul-africana Paramount Group,  tem capacidade para transportar até 11 militares equipados, protegido por uma blindagem tipo STANAG 4569 nível 4, que lhe permite, segundo seu fabricante, resistir a minas e artefatos explosivos improvisados (“improvised explosive device” – IED) de até 10 quilos de TNT e granadas lançadas por foguetes com peso de até 50 quilos a distâncias de cinco metros.

O general Gustavo Acosta, comandante do Exército, declarou que os veículos blindados “têm proteção contra Minas. Isso é especialmente importante na fronteira norte onde encontramos recentemente várias minas que causam muitos danos, mas com esses veículos vamos teremos maior segurança e poderemos entrar em mais lugares.

Para apoiar as operações dessas equipes blindadas, será criada uma brigada de cavalaria mecanizada, que terá seu centro de operações na província de Manabí, de onde melhorará a capacidade de reação contra as ameaças do narcotráfico.

Enquanto isso, as operações militares continuam nas áreas de San Lorenzo, Mataje, Magüí Payán, Cumbal e Jardín de Sucumbíos. As patrulhas são realizadas em áreas rurais para neutralizar as operações de subversão armada de dissidentes colombianos das FARC e organizações criminosas que utilizam essas áreas e as rotas fluviais para o narcotráfico até a costa do Pacífico, de onde a droga é transportada para o exterior.

 

(*) O portal Webinfomil foi criado em 2010 e é o principal portal de notícias de defesa e segurança da Colômbia.

COMPARTILHE