Exército Brasileiro avança na renovação da sua frota de helicópteros

No período de 4 a 6 de dezembro de 2023, o Exército Brasileiro (EB), por intermédio da Chefia de Material de Aviação do Exército (Ch MAvEx), participou de uma reunião com integrantes do U.S. Army Materiel Command, U.S Army Security Assistance Command e demais agências do Governo e Exército Norte-americano envolvidos no programa FMS  (Foreing Military Sales), para tratar do projeto de renovação da frota de helicópteros da Aviação do Exército Brasileiro (AVEx).

General Negrão durante a fase de debates na reunião

Realizada na base de Redstone Arsenal, em Huntsville, a comitiva brasileira foi liderada pelo general de divisão Anysio Luiz Crespo Alves Negrão, chefe de MAvEx, e contou com a participação do general de brigada Everton Pacheco da Silva, adido militar do EB para os Estados Unidos; general de brigada Fabio Serpa de Carvalho Lima, comandante de Av Ex; general de brigada Marcelo Rocha Lima, chefe do EPEx; e do general de brigada Francisco Wellington Franco de Souza, futuro chefe de MAvEx.

Foto oficial da comitivas do Brasil e dos EUA

 

VEJA TAMBÉM

Aviação do Exército define substituição da frota Cougar e Black Hawk

 

Fonte e créditos das fotos: Ch MAvEx, via COLOG

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

O Grupo EDGE, estatal de tecnologia os Emirados Árabes, anunciou que formalizou uma “joint venture” (JV) com a empresa espanhola...

O Exército Brasileiro (EB), por meio da Chefia de Material do Comando Logístico (CMat/CoLog), publicou hoje, dia 04 de março,...

Durante a HAI Heli Expo 2024, que aconteceu no final de fevereiro, nos Estados Unidos, a Safran Electronics & Defense...

Um valor em torno de U$ 400 milhões, resultante de acordo entre o grupo britânico e o Exército da Dinamarca...

Comentários

29 respostas

        1. Se ela não tivesse um vizinho puxa saco como a Turquia mesmo ela fazendo parte da otan ela não se armaria tanto mas é a vida a Turquia que seus territórios de volta

      1. É só curiosidade mesmo,mas será que algum iluminado do EB vai dar a nomenclatura de HM-5 pra essas aeronaves?

  1. E depois reclamam quando a manutenção se torna mais cara e tem que depender dos humores de Washington… Mas é só seguir o caminho do dinheiro, para entender que estará ganhando sua comissão gorda…
    Depois querem propagar “precisamos reindustrializar o país”, ou “precisamos 2% do PIB”, pra quê? Torrar dinheiro brasileiro no exterior e enriquecer alguns oficiais da reserva?! Nossa… Brasileiro repetiu diversas vezes a filha do “bobalhão” (pra não dizer outra coisa).

    1. Rezava a lenda que o EB não queria o UH-60. Bem vindo ao mundo real… EB faz uma bela aquisição, basicamente o helicóptero utilitário armado mais capaz do Ocidente. Equipe ele com Spike NLOS e teremos um padrão elevado de ataque stand-off.

    2. Os H-60L aqui da BASM voam diuturnamente, independente dos humores de quem quer que seja. E quanto a manutenção se tornar mais cara, é em comparação com o que?

    3. Tchê, faz a denuncia no MP, diz os nomes de quem tá levando, caso contrário tu estás prevaricando.
      Vou ter dar uma sugestão para tu não tomar um processo por difamação e calúnia.
      Estas células serão adquiridas pelo FMS, ou seja pelo mesmo preço que o contribuinte americano paga pelos seus entregues ao US Army, sem T$$$$TS.

  2. E a produção dos próprios helicópteros para acabar com a independência de produtos estrangeiros? A proposta da Turquia seria interessante. Estão com um bom exemplar de helicóptero de ataque.

  3. temos uma fábrica de helicópteros em Itajubá não podia fabricar aqui helicópteros com a mesma características do Black Hawk?

    1. a Airbus está muito satisfeita em oferecer mais H225M ou NH90 só escolher uma dessas máquinas prefeitas e aclimatadas na Amazônia.

    2. Não por que é da concorrência. E outra: a concorrência tem os dela, com seus problemas e custos. Por exemplo, os incrivelmente caros H225M.

  4. Não, o Cougar e o Caracal SOFREM COM A INFILTRAÇÃO DE HUMIDADE nos Sistemas eletrônicos, o CALOR também tem Efeito CATALIZADOR nessa HUMIDADE ao acelerar a Corrosão e mau-contatos em tudo que depende de eletricidade na aeronave, a Sikorsky tem uma basta experiência nessa área pois antes de conseguir fazer voar o primeiro helicóptero moderno de configuração clássica (Rotor Principal e Rotor de Contra-torque) ela FEZ SEU NOME com seus Famosos Hidroaviões.
    E o NH-90? NEM DADO ESTÃO QUERENDO!

    1. Perfeito Ricardo, e seguem.nesta linha Tiger e A 400, bombas inoperaveis e caríssimas de manter.
      E olhe que nem falamos de um tal CLS empurrado goela abaixo aonde o contribuinte Brasileiro paga por todas as merd…..deste maldito projeto que detonou o orçamento da aviação de asas rotativas com.custos babilônicos.

  5. Essa guerra não é do Brasil. Essa situação é entre Venezuela, Inglaterra e Estados Unidos. o Brasil não tem nada a ver com isso.
    No final, Os EUA e Inglaterra vão deixar o Brasil na rabuda e sozinho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Disponível

DISPONÍVEL