Exército avalia lancha da Marinha

No período de 13 a 17 de março, militares do Exército Brasileiro (EB) estiveram em Foz do Iguaçu (PR) participando da avaliação técnica e operacional da lancha de operações ribeirinhas (LOpRib) São Félix do Araguaia, na Capitania Fluvial do Rio Paraná (CFRP).

O evento foi realizado pelos membros do Projeto de Obtenção de Embarcações Blindadas (POEB) e busca dar continuidade ao processo de licitação de requisitos operacionais e técnicos às embarcações blindadas tipo 2.

Esta LOpRib foi projetada e construída no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro (AMRJ) a partir da classe Excalibur, construídas pela Base Fluvial de Ladário (BFLa), para missões em operações ribeirinhas, operações de interdição, inspeção e patrulha naval diferenciam-se pela elevada capacidade de manobra em águas interiores, satisfatória flutuabilidade e distribuição de pesos, rápido desembarque e atributos que permitem “abarrancar” nas ribeiras. A primeira lancha construída, a Cuiabá, foi entregue em julho de 2021 ao Grupo de Embarcações de Operações Ribeirinhas do Mato Grosso. A São Félix do Araguaia é a terceira da classe e foi entregue em 2022.

Com a finalidade de estudar, avaliar e colher informações detalhadas sobre a embarcação a ser construída pelo AMRJ, militares das Forças Armadas participam desse encontro que também definirá os aprimoramentos e detalhes de fabricação da embarcação tática pretendida.

Além do AMRJ, participam desse encontro oficiais do Estado-Maior do Exército (EME), Comando Militar da Amazônia (CMA),  Comando Militar do Norte (CMN), Comando Militar do Oeste (CMO), Comando Militar do Sul (CMS), Departamento de Ciência e Tecnologia (DCT) e Departamento de Engenharia e Construção (DEC).

Com informações e imagens do Comando Militar da Amazônia

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

A Comissão do Exército Brasileiro em Washington (CEBW) publicou, na última sexta-feira, dia 19 de abril, um pedido de cotação...

O crescimento da Base Industrial de Defesa e Segurança Pública (BIDS) torna esse setor ainda mais estratégico e relevante para...

Em comemoração a semana do Exército, o Comando Militar do Sudeste (CMSE) está organizando uma série de eventos na Capital Paulista,...

O Ministério da Defesa (MinDef), por meio da Secretaria de Produtos de Defesa (SeProD), acompanhou, entre os dias 15 a...

Comentários

12 respostas

  1. Bastos ,aquelas lanchas fechadas DGS 999(maiores que a Raptor) ,se não me engano, não servem pro EB usar nesta região ???

  2. Depois não se sabe porque não temos uma indústria naval decente. A DGS pronta pra fornecer um equipamento de ponta e a MB prefere construir ela própria um equipamento visivelmente inferior.
    E o trouxa do empresário investe até o que não tem esperando aquisições por parte das forças armandas…

    1. Douglas, antes de bradar sua falta de conhecimento sobre o tema, pelo menos tente ler o texto com atenção.
      Com a finalidade de estudar, avaliar e colher informações detalhadas sobre a embarcação a ser construída pelo AMRJ, militares das Forças Armadas participam desse encontro que também definirá os aprimoramentos e detalhes de fabricação da embarcação tática pretendida“.
      Traduzindo: o EB está usando da maior experiência da Marinha neste tipo de equipamento para refinar seus requisitos antes de os apresentar à indústria.
      Ficou claro agora?

      1. Sim Welington, mas se ele tiver que ficar lembrando aos desatentos tudo o que eles esquecem ou não sabem, o cara tem que virar um “ninja” dos “ninjas”… kkkk…
        O Paulo Roberto é direto, técnico e confiável. Muito diferente de outro que já escreveu muitas besteiras por aqui. Sabe discernir as coisas!
        Obrigado pela lembrança da utilização das lanchas e um grande abraço.

        1. Minha resposta foi ao Douglas Afonso e não ao Bastos kkkkk. Bastos já tá caduco dos assuntos já xD

  3. Aquela lancha colombiana não agradou ao Exército?
    parece bastante superior a esta o que leva a crer que seja mais cara também.

  4. Parece ser uma excelente embarcação, mas esse produto é exclusivo dos BIS/CECMA e BtlOpRib? acredito que as forças policias deveriam terem sido convidadas, ou se foram, precisariam ter enviado representantes para avaliar a embarcação…principalmente PF e PM estadual.

  5. PF e PM sofrem co mnt de suas embarcações, por nao disporem de recurrsos próprios para tal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL