Exército analisa operacionalidade do Fuzil IA-2 7,62mm após emersão

6
8117

O Centro de Avaliações do Exército (CAEx), “Campo de Provas da Marambaia”, realizou no dia 5 de maio de 2020, uma avaliação operacional do Fuzil de Assalto IA2 7,62mm, em uma simulação de condições especiais de combate, após emersão da água do mar.

Participaram das atividades dois oficiais da Seção de Avaliação de Material de Emprego Militar do CAEx (o Gerente da Avaliação Operacional do fuzil e o Oficial de Prevenção de Acidentes na Instrução), uma equipe da Seção de Testes do CAEx, cinco militares do 1º Esquadrão de Cavalaria Paraquedista (1º Esqd Cav Pqdt), técnicos da Indústria de Material Bélico do Brasil (IMBEL), uma equipe de apoio do CAEx e uma equipe de saúde.

Cada militar do 1º Esqd Cav Pqdt realizou, individualmente, o procedimento de tiro, após emersão da água do mar, finalizando com uma série de disparos. Em seguida, foi executado o disparo simultâneo com o armamento de todos os militares, em linha, nos alvos em frente. Logo após, a equipe de técnicos e de militares do CAEx analisou os resultados no local e, posteriormente, em laboratório.

O Fuzil de Assalto IA2 7,62mm é um armamento com tecnologia 100% nacional, produzido na fábrica da IMBEL, em Itajubá (MG), cuja versão 5,56 mm já é empregada em diversas Organizações Militares do Exército Brasileiro.

Apresenta os funcionamentos semiautomático, automático e de repetição, permitindo o acoplamento de diversos acessórios e com peso inferior ao de fuzis anteriormente empregados pela Força Terrestre.

É mais uma etapa sendo vencida por uma produto nacional, feito por brasileiros e para atender as nossas necessidades, diminuindo nossa dependência do exterior em uma área tão estratégica.

Fonte: CAEx

6 Comentários

    • Teste foi para verificar o funcionamento com segurança do IMBEL IA-2 7,62mm em operações de emersão.
      O Fuzil foi aprovado.

      • Meia dúzia de imersões não espelham a real resistencia do armamento. Tem que fazer isso por um período maior, incluindo aí lama, areia e quedas, além de que pelo menos 10 mil tiros sem falhas do equipamento.

        • Alberto, esse teste faz parte uma campanha da campanha de homologação do lote piloto dos Fz 7.62 IMBEL IA-2 e que incluiu testes em diversas OM’s com biomas diferentes.
          Antes desse teste, há dois meses atras, foi feito um semelhante na Amazônia, por isso não foram apenas “Meia dúzia de imersões”, ok?

  1. Tenho muito orgulho do exército brasileiro mesmo tendo sobrado por excesso contingente.
    Também gostaria de optar sobre flexibilizar o engajamento militar para que o Brasil tenha maior número de soldados possível. No meu ponto de vista, é eminente que teremos uma nova guerra seguida de uma nova ordem em nosso país.
    Também estimo o desenvolvimento de novas tecnologias brasileiras para o poder bélico do nosso Brasil.

  2. Acredito e torço pela aprovação do fuzil 762 IA2,precisamos começar a dar mais crédito aos nossos produtos nacionais, afinal somos exportadores de técnicos em diversas areas para o mundo inteiro. Então porque não conseguiríamos produzir um fuzil de qualidade!Até quando vamos ficar achando que a grama do vizinho é mais verde. Quando encho de elogios o filho do vizinho e desdenho o meu, tenho que lembrar sempre que o individuo é produto do meio, então se estou num lugar que nada presta é porque nada presto também.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here