T&D HISTÓRIA – Espírito de liberdade

0
462
USS George Washington CVN-73 (Foto: José Salgueiro)

O USS George Washington CVN-73 ou “GW” é o sexto entre dez porta-aviões da Classe Nimitz movidos à propulsão nuclear e foi construído pelo estaleiro Northrop Grumman Newport News Shipbuilding para a Marinha Norte Americana. O GW mede 333 metros (1,092 pés) de comprimento, 78 metros (257 pés) de largura, 74 metros (244 pés) de altura, alcança a velocidade de 56 km/h (35 mph) e transporta até 90 aeronaves entre aviões e helicópteros. O poder aéreo disponível em seu convés é maior e mais poderoso que da maioria dos países e conta com os Boeing F/A-18 Super Hornet, Grumman EA-6B Prowler, Lockheed S-3B Viking, Grumman E-2C Hawkeye e o Sikorsky SH-60 Sea Hawk. Além das aeronaves, o navio é equipado com lança mísseis, metralhadoras anti-aérea e modernos sistemas eletrônicos de radar. O GW é tripulado por 6250 homens e desloca um peso aproximado de cem mil toneladas com o auxílio de dois reatores nucleares que são capazes de mantê-lo navegando por mais de 20 anos seguidos sem a necessidade de reabastecer.

Quando o GW foi encomendado em 1982, o mundo ainda vivia sob a ameaça de uma potencial guerra nuclear entre Estados Unidos e a União Soviética. Naquele momento, o “super” porta-aviões nuclear Norte Americano tinha como principal propósito a demonstração de força para intimidar a União Soviética e seus aliados da “Cortina de Ferro”. Entretanto, com a queda do “Império Soviético” em 1991, os Estados Unidos venceram a Guerra Fria e o mundo passou por uma grande transformação geopolítica. O USS George Washington comissionado em 1992, foi então designado para missões diversas que não mais se limitava a intimidar um único inimigo. Apesar de ficar baseado em Norfolk, na Virgínia, o navio rodou o mundo cumprindo missões e simulações de combate com países aliados aos Estados Unidos como o Brasil. Em 2001, logo após os ataques de 11 de setembro, o GW foi designado para proteger a cidade de Nova Iorque e posteriormente seguiu em missão para o Golfo Pérsico. Após a Segunda Guerra do Golfo, o navio atuou em missões de patrulha no mar do Japão e Coréia do Sul, de combate ao tráfico de drogas no mar do Caribe e de auxílio as vítimas do furacão Matthew no Haiti. Em 2008, logo após passar pelo Brasil, ocorreu um grave incêndio a bordo que levou mais de 12 horas para ser controlado e feriu 37 tripulantes.

Atualmente, o navio está na doca seca de um estaleiro nos Estados Unidos passando por um longo processo de manutenção, modernização e reabastecimento. Em agosto de 2021 o USS George Washington CVN-73 deve retornar aos oceanos para continuar a cumprir o lema que está estampado em seu escudo e ajudar a manter o mundo sob o “Spirit of Freedom” ou “Espírito de Liberdade”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here