Empresas apresentam suas principais inovações voltadas para segurança pública no COP Internacional 

3
612

Realizado entre 22 a 24 de março em Florianópolis (SC), o 2º Congresso de Operações Policiais – COP Internacional, promoveu debates e levou à capital catarinense personalidades e autoridades da segurança pública para apontar os caminhos do combate à violência e à criminalidade. Paralelo ao congresso, uma grande feira de negócios reuniu centenas de empresas e fornecedores das forças de segurança, que trouxeram suas inovações e lançamentos para apresentar ao mercado. 

Entre os expositores, marcas líderes de mercado como Mahrte, Invictus, Taurus, CBC, Armalite, Coringa, Condor e DITEC. Confira as novidades trazidas por essas empresas para o evento: 

Customização de armas 

A Mahrte, maior loja de produtos táticos, operacionais e de aventura de São Paulo, apresentou suas peças para customização de fuzil, como alavanca de manejo, botão do carregador, retém do ferrolho, chave seletora, pistol grip, gatilho, muzzle brake dentre outros. Para Anderson Lourenço, do departamento de marketing da empresa, o COP Internacional teve como principal papel o fomento de negócios e a criação de possibilidades de parcerias.

 

 

 

 

Armas não-letais para contingenciamento da violência 

A Condor, empresa brasileira especializada na fabricação de armas não letais homologadas pelas forças de segurança do país, apresentou duas grandes soluções inovadoras para contenção de situações de violência. A primeira é o drone com lançador, que consiste em uma plataforma que permite disparar granadas de agente químico para dispersão de tumultos e a segunda, uma arma de incapacitação neuromuscular de dois tiros que será lançada em breve no mercado. “Já temos uma arma tradicional com um tiro, agora lançamos esta, com dois cartuchos, que permite uma resposta de recarga mais rápida ao agente em campo”, destaca Ricardo Soares, Coordenador de Treinamento da Condor.

Para o representante da empresa, a realização de eventos como o COP Internacional é importante porque “permite realizar a interface com profissionais e corporações para saber necessidades, mostrar atualizações e ouvir possíveis sugestões de novas soluções e tecnologias”. 

Atendimento omnichannel e monitoramento gerando eficiência operacional 

A Coringa Sistemas Inteligentes de Segurança apresentou uma solução inovadora em parceria com a Dígitro Tecnologia, que visa agilizar o atendimento da população e despacho das equipes de trabalho com eficiência, potencializados pela inteligência artificial e diversidade de canais de atendimento através de ferramentas omnichannel. O consórcio das empresas integra os serviços de telefone, WhatsApp, Telegram, Facebook Messenger com informações obtidas com câmeras de monitoramento que identificam questões fora do padrão, realizando o envio das informações ao profissional que está em campo, dando velocidade e precisão no atendimento das ocorrências. “Ainda sobre todo esse processo de recebimento e despacho, temos a capacidade de entregar uma análise gerencial para lideranças das instituições de segurança e para as cidades, permitindo a criação de políticas públicas mais assertivas, atuando sobre a natureza dos atendimentos característicos daquela região”, afirma Gustavo Jota, Gerente de Inovação da Dígitro.

Para os expositores, o COP Internacional possibilitou aproximar o setor de inteligência das pessoas que efetivamente operam a segurança pública, permitindo entender melhor as necessidades e desejos dos profissionais e melhorando a performance dos produtos desenvolvidos. “Aqui encontramos cidades que tinham necessidades que vislumbravam como tecnologia do futuro e nós mostramos que podemos entregar a solução imediatamente”, conclui Jota. 

Integração de sistemas de segurança e comunicação 

A catarinense Ditec é uma fornecedora de soluções de comunicação através de dispositivos e sistemas como rádios, câmeras corporais, câmeras 4G, tornozeleiras eletrônicas e apresentou durante a COP Internacional sua tecnologia de monitoramento em vídeo que permite verificar ao vivo comportamentos, vestuário, temperatura e outros dados, ajudando a abordagem policial e integrando seu sistema com equipamentos de tornozeleira eletrônica e rádios. “Fomos pioneiros no Brasil no uso de câmeras corporais e, em Santa Catarina, temos em pleno funcionamento um projeto com a Polícia Militar onde estão em uso mais de 2.500 câmeras de monitoramento”, afirma Rafael Warmling, Engenheiro de Telecomunicações da Ditec.

Para a empresa, a oportunidade de aproximação de outras marcas presentes no COP Internacional e de profissionais do setor permite que haja uma maior integração dos esforços de segurança e consequente melhoria na operação de missões críticas. 

 

Novidades em armas e munições de uso profissional 

A fabricante de armas Taurus junto à Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC) apresentaram ao público presente seus amplos portfólios de produtos e soluções. Dentre eles, lançamentos que aguardam homologação por órgão competente para comercialização no mercado brasileiro, como as munições .22 Magnum, 6,5 Creedmoor, munições 

para treinamento Polymatch, as munições JHPP, com projétil expansivo de design especialmente desenvolvido para maximizar seu desempenho balístico, e a espingarda Pump Military calibre 12 na versão com cano de 14″.

No estande, os participantes também puderam conferir o consagrado fuzil T4 da Taurus, no calibre 5,56 NATO, amplamente empregado por diversas instituições policiais, militares e de segurança em todo o mundo, por ser considerada uma arma extremamente confiável, leve, de fácil emprego e manutenção, e sua versão na configuração customizada MLOK de fábrica. A novidade conta com o guarda-mão (handguard) no moderno padrão MLOK (Modular Lock), que proporciona melhor ergonomia, e miras rebatíveis (flip up), que agregam a possibilidade de utilização de equipamentos óticos variados e atendem as mais diversas particularidades nas operações especiais. 

Tecnologia aplicada na produção de uniformes policiais 

A INVICTUS Tactical, fornecedora dos uniformes da Polícia Federal, é especializada na produção de vestuário e equipamentos para uso tático e busca melhorar a performance dos profissionais por meio da tecnologia aplicada em seus produtos. De acordo com Guilherme Granzinolli, Diretor de Produto da empresa, a empresa entende o uniforme do policial não como roupa, mas como um equipamento de proteção individual, porque conhece a realidade em que esses profissionais estão expostos e sabe que o equipamento deve oferecer vantagem e não limitação. 

Dessa forma, Granzinolli afirma que o processo de desenvolvimento de novos produtos inicia com a compreensão das particularidades da operação para, a partir disso, projetar o equipamento. “Exemplo disso está no uso de tecidos tecnológicos, repelentes à água, com proteção solar e jaquetas que são impermeabilizadas com uma membrana altamente protetora, mas respirável, que protege ao mesmo tempo que mantém o conforto”, conclui o gestor da marca. No estande da empresa o visitante pode conferir detalhes dessas tecnologias aplicadas aos uniformes das Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar, entre outras corporações. 

Armas e munições das principais forças de defesa brasileiras 

A SAC – Strategic Armory Corps, holding americana detentora da Base ArmaLite no Brasil e que produz e fornece armas para as principais polícias especiais brasileiras, como o BOPE-RJ, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Federal, expôs na feira da COP Internacional alguns dos produtos distribuídos no Brasil, com destaque para o fuzil AR 10, Surgeon Rifles e McMillan Firearms, além dos silenciadores AWC que acompanham as armas compradas pela polícia. Para completar o portfólio, no estande da empresa foram apresentadas as munições da Nexus que, por enquanto, tem fabricação e distribuição exclusivas para o exército americano.

José Augusto Schincariol, CEO da SAC e da Base Armalite no Brasil, destaca que a empresa também atende o público civil, com exceção da comercialização de silenciadores que têm venda proibida para CACs no país. Para o executivo, “o COP é uma grande chance de mostrar para outras polícias e civis uma oportunidade de investimento, se tornando um grande canal para atingir um público importante para a nossa indústria”. 

3 Comentários

  1. Meu caro, vi ontem um vídeo com um JLTV já com os adesivos da Polícia Federal, tens alguma informação sobre esta aquisição ???

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here