CV90 desembarca no Brasil para testes

No ultimo sábado, dia 05 de maio, desembarcou no Porto do Rio de Janeiro a viatura blindada de combate de fuzileiros (VBC Fuz) CV90, da BAE Systems Hägglunds, para ser demonstrado ao Exército Brasileiro (EB).

A viatura foi transportada pelo navio mercante holandês MV Mitiq, que deixou o porto de Norrköping, na Suécia, no dia 14 de abril, junto com dois caças F-39E Gripen, da Força Aérea Brasileira (FAB). As aeronaves desembarcaram em no Porto de Navegantes, em Santa Catarina,  na última sexta-feira (05/05) e o navio seguiu para o Rio de Janeiro.

O CV90, ou Combat Vehicle 90, é uma família de veículos de combate blindados suecos projetados pela Administração de Material de Defesa da Suécia (Försvarets Materielverk – FMV) em conjunto com as empresas Hägglunds e Bofors, em meados da década de 80 e entrou em serviço na Suécia em meados da década seguinte com o nome de Stridsfordon 90 (Strf 90). Atualmente o veículo é ofertado pela BAE Systems e se encontra em sua 5ª geração é considerado um dos mais capazes de sua categoria, possuindo 15 variantes em operação em sete nações, incluindo quatro membros da OTAN, também foi adquirido por Eslováquia e está sendo negociado com a Tchéquia. Este ano também foi divulgado que a Ucrânia receberá 51 doados pela Suécia.

Imagem do CV9030 MK III no Porto do Rio de Janeiro

A versão trazida é a MK III (apesar da empresa oferecer a MK IV), equipada com um canhão automático Bushmaster II, de 30×173 mm, metralhadora coaxial de 7,62×51 mm e lançadores de granadas fumígenas. Será levada para o Centro de Avaliações do Exército (CAEx), onde deverá passar por uma série de demonstrações com o objetivo de ser apresentado como uma opção para o projeto VBC Fuz, do Programa Estratégico FORÇAS BLINDADAS, que devem iniciar a partir do próximo mês.

A viatura ainda se encontra no porto, onde a empresa cuida dos tramites alfandegários.

Família CV90 apresentada para comitiva do EME, em setembro de 2022

 

Nota do Autor: Aguardem mais informações sobre o CV90 no Brasil e um artigo completo na próxima edição da revista Tecnologia & Defesa.

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

O acordo criará um canal de fabricação naval com sede nos Emirados Árabes Unidos e demonstra compromisso da estatal de...

Neste domingo, dia 18 de fevereiro, o primeiro lote de cinco viaturas blindadas 6X6 Guarani APC (“armoured personnel Carrier”), fabricados...

O Canadá registrou junto à Saab um pedido de compra de unidades do sistema de defesa antiaérea de curto alcance...

Faça hoje mesmo o seu cadastramento para participar da LAAD Security & Defence 2024, o maior evento de defesa e...

Comentários

16 respostas

  1. Talvez a escolha do MkIII seja pelo canhão empregado nesse versão, pelo que vi a diferença maior externamente seria a torre

    1. Flávio, não houve escolha ainda, o modelo provavelmente seja o MkIV, mas a BAE Systems quis dar ao EB o gostinho de um veiculo excelente e ainda poder dizer que essa nem a a versão mais nova dele. O armamento vai de acordo com a escolha do cliente, é um veiculo modular, o que muda em relação as versões é o nível de tecnologia aplicado.

      1. Estou falando que, chuto eu, que seria a única variante que a BAe System tem com o MK44 de 30mm, acho que o MKIV que a BAe System usar para apresentar não usar um de 30mm logo teriam que trazer a munição também

        1. Acredito que a principal questão nem seja ter que trazer munição 40mm. O EB deve estar interessado em adotar o canhão de 30mm também nessa viatura para ter munição e , quiçá, a torre compartilhada com o Guarani.

  2. Parabéns pelo trabalho, sou seu leitor inclusive do seu livro sobre M3 Stuart. Estou esperando o livro sobre a Engesa.

  3. Agora eu entendi o porque do governo brasileiro começando a pressionar o governo sueco a comprar o kc-390 !!!
    A empresa da Suécia é favorita em vencer esse contrato com o fornecimento de blindados para o exército brasileiro !!!

  4. A Saab não tem participação no CV90.. uma compra de mais Gripen ppr parte da FAB ou de KC 390 por parte da Suécia dificilmente terá algum haver com outra força que não seja a FAB.

  5. O EB não vai comprar nada, não adianta se iludir a esse respeito, vão moer esse protótipo até o osso, chamar de excelente, pra depois dizer que não há orçamento.

  6. Realmente foi um furo de reportagem. Parabéns Bastos… Esse CV-90 se for adotado, deverá utilizar os canhões nacionais da Ares…e creio que serão em 30mm pra comunalizar com os Guarani… acho uma família de carros de combate impressionante… Agora, qual seria o quantitativo? Porque o Centauro será no mínimo do necessário…

  7. Só falta o presidente e atual “dono” do Brasil, falar Tb q esse veículo é um leopard modernizado. Como fez com o A390 em recente evento. “Ô coitado”… Parabéns ao pessoal da revista Tecnologia & Defesa pelas excelentes reportagens. Vcs são “feras”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Disponível

DISPONÍVEL