Continua o programa de modernização dos Tucano da Argentina

4
4095

Por Santiago Rivas (*)

A Força Aérea Argentina (FAA) deu início ao programa de modificações de suas aeronaves Embraer EMB-312 Tucano, que atualmente são operadas pela III Brigada Aérea, com sede em Reconquista.

Utilizando o excelente instrumento de financiamento previsto na Lei que criou o Fundo de Defesa Nacional (FONDEF), por meio do Edital N ° 57/2021, a FAA contratou a empresa argentina Redimec SRL, de Tandil, em um quadro associativo de crescimento tecnológico para todas as partes, onde a Área de Materiais Río Cuarto (ARMACUAR) foi incluída como unidade de modificação das aeronaves.

A Diretoria Geral de Pesquisa e Desenvolvimento (DGID) é a principal responsável pela execução do projeto, incluindo participantes da III Brigada Aérea e da Direção Geral de Aeronavegabilidade Militar Conjunta (DIGAMC).  Assim, o projeto destaca o potencial e as sinergias das capacidades dos organismos públicos e da expertise do setor privado, o que se refletirá no crescimento tecnológico da ARMACUAR e em um melhor sistema de armas para a Força Aérea Argentina.

Em um período de menos de seis meses, a partir de 15 de dezembro de 2021, a FAA receberá duas aeronaves EMB-312 Tucano modificadas e certificadas e dois kits completos de modificação para realizar a modificação de duas unidades adicionais sob a supervisão da equipe Redimec. O treinamento escalonado no local de trabalho e na modalidade aula permitirá uma transição adequada para técnicos e pilotos.

As novas aeronaves terão tecnologia de ponta a bordo, telas sensíveis ao toque, visão sintética, sistemas de comunicação e navegação, sistemas de segurança operacional e forte redundância suportada por uma arquitetura de barramento digital de alta velocidade.

A instrumentação do motor será duplicada e as últimas técnicas de análise de risco e análise de falha e seus efeitos serão usados ​​para garantir uma aeronave operável em condições IFR/IMC sem inconvenientes e com o mínimo de trabalho para a tripulação.

Os painéis de instrumentos são funcionais e ergonômicos, como pode ser visto a seguir, com praticamente todas as informações em formato digital.

A empresa Redimec, é responsável nesta fase por fornecer os serviços de projeto de engenharia, materiais, certificação, documentação, treinamento e suporte técnico necessários à completa integração, instalação e execução funcional da modernização aviônica dos postos de pilotagem dianteiros e traseiros das duas aeronaves.

Os dois primeiros Tucanos serão constituídos como protótipos #1 e #2, com a diferença de que no primeiro a modernização está “totalmente” a cargo e sob a responsabilidade da Redimec, enquanto no segundo a modernização está a cargo da mesma empresa, mas empregando parcialmente mão de obra a ser prestada pela FAA, na execução dos trabalhos por ela solicitados e exclusivamente para a formação na modalidade “on the job”, complementada com cursos teórico e práticos.

A finalização do processo ocorre com a implantação total da modernização na aeronave Protótipo #2, com a Certificação de Treinamento do pessoal da FAA e com a Certificação da aeronave pela autoridade aeronáutica DIGAMC.

Por meio da modificação, a aeronave será capaz de:

  • Voo por instrumentos, navegação e aproximações segundo o conceito de PBN (“performance-based navigation”), RNAV (“area navigation”) e RNP (“required ravigation performance”), tanto diurno como noturno, sem restrição de luz;
  • Voos visuais e acrobáticos sem restrição de G’s, dentro do envelope de vôo estabelecido pelo fabricante, e que esteja explicitamente definido no manual de voo da aeronave (+6 / -3 G’s);
  • Voo para lançamento ou disparo de armas, dentro do envelope de voo estabelecido para uso de armas pelo fabricante, de acordo com o manual de voo da aeronave, mantendo integrados e funcionais todos os dispositivos, painéis e demais componentes do sistema de armas preexistentes;

A arquitetura aviônica é baseada no uso do sistema Garmin G600HP TXi (“high performance”) recomendado pelo fabricante para aeronaves tandem. Os EFIS GDU1060 (versão G600) são acompanhados por navegadores GTN650H Xi (NAV / COM / GPS / FMS), áudio digital fornecido pelo sistema Becker Avionics AMU6500 e EFIS / MFD stand-by GI275. Os sistemas de segurança integrados são TAWS-B, sistema de informação de tráfego GTS825, Stormscope WX500 e transponder ADS-B Out GTX-345.

A integração com o motor PT6A-25C é fornecida por uma unidade Garmin GEA71B e uma unidade de backup EDC-33T com monitores CGR30C.

A aeronave possuirá mapas e cartas de navegação integradas, com seus sistemas podendo ser programados a partir de um tablet, e serão adaptadas para operações NVIS, tanto em iluminação interna quanto externa e será o primeiro caso de adaptação total para a FAA.

(*) Santiago Rivas é jornalista e fotógrafo argentino, especializado em defesa, editor da revista Pucará Defensa e colaborador de Tecnologia & Defesa na Argentina

4 Comentários

    • Prezado Bueno
      Segundo o texto, num primeiro momento serão quatro.
      “Em um período de menos de seis meses, a partir de 15 de dezembro de 2021, a FAA receberá duas aeronaves EMB-312 Tucano modificadas e certificadas e dois kits completos de modificação para realizar a modificação de duas unidades adicionais sob a supervisão da equipe Redimec.”
      Abraço

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here