Comando da Aeronáutica assina contrato para aquisição de 27 aeronaves

Por Agência Força Aérea

Construir uma Força Aérea cada dia mais tecnológica e inovadora. Esse é o objetivo do Comando da Aeronáutica (COMAER), que, nesta quinta-feira (15/09), assinou o contrato com a empresa Airbus Helicopters, dando mais um passo visando à modernização da frota. O acordo, assinado pelo Presidente da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), brigadeiro do ar Antonio Luiz Godoy Soares Mioni Rodrigues, e pelo vice-presidente da Airbus Helicopters América Latina, Alberto Robles, permitirá a aquisição de 12 aeronaves H-125 em substituição às aeronaves H-50 Esquilo, da Aviação de Asas Rotativas da Força Aérea Brasileira (FAB). O mesmo contrato também prevê a aquisição de 15 aeronaves do modelo pela Marinha do Brasil (MB).

A cerimônia de assinatura foi presidida pelo comandante de Operações Aeroespaciais, tenente-brigadeiro do Ar Heraldo Luiz Rodrigues, e contou com a participação do comandante de preparo, tenente-brigadeiro do Ar Sérgio Roberto de Almeida; do comandante-geral de pessoal, tenente-brigadeiro do Ar Ricardo Reis Tavares; do secretário de Economia, Finanças e Administração da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do Ar Ricardo Augusto Fonseca Neubert; de oficiais-generais da Marinha do Brasil, do Exército Brasileiro e da Aeronáutica; do adjunto do advogado-geral da União, Paulo Henrique Kuhn, representando, neste ano, o advogado-geral da união, ministro Bruno Bianco Leal, dentre outras autoridades civis e militares.

“Esse momento representa o trabalho de várias Organizações Militares da FAB, capitaneadas pelo Comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior, e diversos órgãos envolvidos para que esse projeto desse certo. Em nome do Comandante, gostaria de agradecer a todas as Organizações e seções envolvidas nesse processo. E, é claro, à Airbus, que já é uma parceira de longa data da Força Aérea”, destacou o tenente-brigadeiro Heraldo.

À frente do projeto na COPAC, o Brigadeiro Soares ressaltou que o sucesso do projeto deve ser compartilhado. “A aquisição conjunta, aqui celebrada, das aeronaves H-125, pela Marinha do Brasil e pela Força Aérea Brasileira, concretiza, em sua plenitude, um passo importante para a adoção de um meio padronizado, doravante definido pelo Ministério da Defesa, para a formação das tripulações de Asas Rotativas das Forças Singulares. Para que esse projeto desse certo, contamos com o apoio de diversos órgãos do Governo brasileiro, como a Advocacia Geral da União (AGU), que garantiu que todo o arcabouço jurídico constitucional fosse observado”, explicou.

Por sua vez, Alberto Robles destacou a importância da renovação da frota. “Nesse momento, renovamos uma parceria com as Forças Armadas brasileiras. Tenham a certeza de que estarão recebendo agora o estado de arte da Aviação das Asas Rotativas, isto é, o nível mais alto de uma aeronave da área: uma aeronave moderna e versátil, que irá contribuir extremamente na formação dos futuros pilotos. Com essa parceria, estamos desenvolvendo não só as capacidades aéreas, mas toda a capacidade de geração de emprego e renda com a fabricação desses helicópteros aqui no Brasil”, concluiu.

Texto: tenente Marayane / Agência Força Aérea
Fotos: sargento Müller / CECOMSAER

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Durante a Eurosatory 2024, que esta ocorrendo no Centro de exposições Paris-Nord Villepinte, localizado nos arredores de Paris, a empresa...

Variante com uma nova torre é  apresentada na feira de Paris A BAE Systems está apresentando o CV90MkIV com uma...

Na quarta-feira (12), o mercado de defesa se agitou com a notícia divulgada pelo portal britânico Janes de que o...

A AVIBRAS Indústria Aeroespacial S/A, que em tempos passados foi considerada uma das maiores empresas  de defesa do mundo, mas...

Comentários

4 respostas

    1. O EB adquiriu, na reativação da aviação do EB, 16 HB-350 Esquilo e alguns anos depois, 20 AS550 Fennec (versão militar do Esquilo). Desse total de 36, 2 foram perdidos em acidentes. Os 34 restantes foram padronizados e modernizados bem recentemente. Acredito que os 27 desta aquisição de agora serão bem semelhantes aos da versão modernizada do EB.

      1. ótimo…
        Vi no Site do EB , que foram entregues o ultimo dos 34 modernizados em 2021 e que terão sobrevida de +/-25 anos , sendo que os primeiros modernizados foram entregues em 2014.. temos então que o inicio das baixas é no ano +/- 2035 o EB tem 12 anos para planejar as compras para reposição de um novo lote de H125 , imagino que deve ser o modelo comprado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL