Colômbia investe em  “drones” de fabricação local

0
693
Entrega do ARP Quimbaya

Durante a Expodefensa  – Feira da Indústria de Defesa e Segurança, realizada entre os dias 29 de novembro e 01 de dezembro, em Bogotá, capital da Colômbia, a Força Aérea Colombiana (FAC) recebeu dois modelos diferentes de aeronaves remotamente pilotada (ARP, ou “unmanned aerial vehicle” – UAV,  em inglês), fabricadas no país.

A primeira entrega, que ocorreu  em uma cerimônia simples no dia 29, o Ministério da Defesa Nacional da Colômbia e as empresas  GSED (Grupo Social y Empresarial de la Defensa) e CIAC (Corporación de la Industria Aeronáutica Colombiana), entregaram oficialmente a FAC a primeira unidade do ARP Quimbaya.

A apresentação do protótipo do ARP Quimbaya ocorreu em 2018

Trata-se de uma aeronave de 4,11 m de comprimento, 5,24 de largura, com peso máximo de 70 kg, autonomia de oito horas e velocidade de 100 km/h, cujas principais missões serão de vigilância e reconhecimento da infraestrutura crítica e econômica da Colômbia, controle de fronteiras, apoio em operações militares e obtenção de imagens aéreas e fotográficas.

O ministro da Defesa da Colômbia, Carlos Andrés Rios Puerta, afirmou: “para nós é uma honra ser capaz de entregar à Força Aérea Colombiana nosso protótipo Quimbaya, isso nos permitirá combater o crime, tanto na segurança e defesa nacional, quanto na segurança do cidadão ”.

Já no dia primeiro de dezembro, a FAC recebeu da CIAC o Coelum, uma ARP menor porte, fabricada em fibra de carbono e que pode ser lançado a mão ou em catapulta.

Entrega da ARP Coelum

Possuindo 1,3 m de comprimento, 1,95 de envergadura, peso máximo de 5,5 kg, autonomia de mais de uma  hora com velocidade de 70 km/h, tem capacidade de realizar missões de inteligência civil e militar, reconhecimento, identificação e vigilância de alvos em terrenos de difícil acesso.

Algumas das aplicações em que a aeronave pode ser utilizada são vigilância vulcanológica, monitoramento de bacias hidrográficas, entre outras, a fim de gerar alertas precoces às comunidades em áreas de risco de desastres naturais.

“O Coelum tem capacidades que lhe permitem aumentar a sua eficiência, foi testado nas Ilhas de San Andrés com a nossa Força Aérea Colombiana e com apenas 50% da bateria voamos 70 minutos, já que o seu grande desenho de asa nos permite maior sustentação. Além disso, seu sistema tem a capacidade de reduzir a energia para estender a vida útil. Ele também foi testado no Comando Aéreo de Combate nº 2, operamos por cerca de 95 minutos com uma rota linear de 80 km. É uma capacidade de rápido desdobramento”, afirmou o major Andrés Mejía Loaiza, coordenador do Grupo de Desenvolvimento de Design e diretor de Produção do CIAC.

Ambos são  produtos de inovação, design e desenvolvimento que combina e otimiza processos e experiências em técnicas de fabricação de aeronaves, programação de hardware e software da empresa e estruturas em materiais compósitos que contribuem com as necessidades operacionais do setor de defesa da Colômbia.

A FAC fornecerá “feedback” ao CIAC e ao Ministério da Defesa sobre o desempenho dos sistemas para que estes possam ser comercializados, posicionando o país como um fabricante e fornecedor deste tipo de sistemas no hemisfério.

Com informações e imagens da Força Aérea Colombiana

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here