ÁREA DO CLIENTE

Colômbia adquire mais 55 blindados LAV III 8X8

Por Webinfomil (*)

Com a intenção de manter as capacidades das Forças Armadas que lhes permitam cumprir seu mandato constitucional de garantir a segurança e defesa dos colombianos, o Ministério da Defesa adquiriu 55 viaturas blindadas 8X8 General Dynamics Land Systems – Canada (GDLS-C) LAV III DVH (Double-V Hull), que complementarão a frota de 32 similares que operam atualmente com o Exército Nacional Colombiano.

O negócio, que foi realizado por meio do órgão governamental Canadian Commercial Corporation (CCC), está avaliado em 305 milhões de dólares, e contempla a entrega das viaturas para as unidades de Infantaria Mecanizada do Exército e que virão equipados com um sistema de armas remotamente controlado (SARC) com um canhão de 30×113 mm.

Esta compra foi uma aquisição prioritária do Ministério da Defesa Nacional e confere ao Exército novas capacidades de manobra e poder de fogo face às ameaças transnacionais e aumenta o poder de dissuasão da instituição.

As unidades blindadas LAV III foram adquiridas por meio de contratação direta e, após sua chegada ao país, farão parte da Força-Tarefa de Armas Combinadas Médias, destacada nos departamentos de Guajira e Cesár, zona fronteiriça com a Venezuela, onde substituirão os antigos TPM-113 (M-113A1) do Exército.

A versão do LAV III adquirida pela Colômbia incorpora melhorias em termos de proteção e armas. Os veículos blindados serão equipados com casco duplo tipo V e blindagem adicional que protegerá a tripulação contra explosões de minas e dispositivos explosivos improvisados.

Esta compra foi uma aquisição prioritária do Ministério da Defesa, sendo realizada no âmbito do projeto de reforço estratégico denominado Sistema Integral de Defesa Nacional (SIDEN), que foi implementado como um mecanismo onde se define a forma de atuação conjunta das Forças Armadas, bem como as capacidades necessárias a médio e longo prazo para enfrentar os desafios operacionais em defesa e segurança nacional.

No âmbito das ações destinadas à implementação do SIDEN, o Conselho Superior de Política Fiscal (CONFIS) aprovou recursos em 2022 num horizonte temporal de 10 anos (2022-2032) para aquisição de armas e plataformas associadas a capacidades que entraram em obsolescência.

O total dos elementos adquiridos (para as três Forças) teve um investimento de cerca de $ 5,2 bilhões de pesos. Esses novos elementos para a defesa nacional incluem capacidades de mobilidade e manobras blindadas médias para o Exército Nacional, como 55 veículos blindados 8X8 e três baterias de artilharia autopropulsadas ATMOS, da Elbit Systems, por um custo total de $ 406 milhões de dólares.

A Força Aérea substituirá o obsoleto sistema de defesa aérea do país pelo sistema de defesa aérea baseado em mísseis IAI Barak MX e duas plataformas de defesa eletrônica que custam US$ 222 milhões.

E para a Marinha da Colômbia, por meio de um acordo interadministrativo assinado entre esta força e a COTECMAR, serão construídas uma fragata (Plataforma Estratégica de Superfície), um Barco Patrulha Oceânico e um Navio de Apoio Logístico, no valor de $ 2,1 bilhões de pesos. Isso também permitirá promover o desenvolvimento da indústria naval, marítima e fluvial.

 

 

(*) O portal Webinfomil foi criado em 2010 e é o principal portal de notícias de defesa e segurança da Colômbia.

 

COMPARTILHE

Respostas de 10

  1. A Colômbia está se armando com força ,entre outros países sul-americanos ,será que se aproxima uma primavera latina ???

    1. Não acho , claro que a Venezuela está ali do lado mas os governos são amigos agora. Apenas modernização. Se analisarem os Programas do Brasil vão achar a mesma coisa!!!

    2. Numa comparação com a Primavera Árabe da década de 2010?

      Muito difícil, principalmente na Colômbia. Um país com uma democracia bem estabelecida, com 20 anos de alternância de poder e boa dose de liberdade.

      Além do mais, muitas das compras colombianas é para repor equipamentos que estão em final de vida útil, como no caso dos Kfir.

        1. Por isso perguntei se a referência eram os países da primavera árabe. Comparado com a população deles, os colombianos tem muito mais liberdades, de expressão, econômica, religiosa,…

          E mesmo dentro da Am Latina, principalmente na Am do Sul, a Colômbia está entre os países com mais liberdades civis.

  2. senhores.. me pareceu bastante “salgado” os veículos! mesmo com a torre pesada(30mm) não imaginava algo mais que 4M U$… quem dirá um MBT ou um IFV

      1. Sr Breno..meu comentário foi relacionado ao custo dos equipamentos.. não sobre a Colômbia querer ou poder operar um MBT… no mais andam com história de M1 por lá.

  3. Tomara que com essa aquisição do Barak MX por parte da Colômbia, tbm influencia na escolha brasileira desse excelente sistema

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *