Cockerill iX – Um conceito futurista

Na exposição World Defense Show (WDS) 2022, ocorrida em Riyadh, na Arábia Saudita, durante o período de 06 a 09 de março, a empresa belga John Cockerill Defense (ex-CMI), apresentou um novo conceito de viatura de combate, que combina velocidade extrema com alto poder, o Cockerill® iX.

O Cockerill iX (“i” para “interceptor” e “X” para “modular multi-weapons system”), de acordo com a empresa, “foi projetado para combinar “velocidade extrema, alto poder de fogo e furtividade adaptável em um único veículo terrestre tático, nasce da fusão da excelência tecnológica dos sistemas de armas e a expertise do desempenho de corridas de rally e representa uma ruptura com conceitos tradicionais e impõe um novo paradigma de operações militares terrestres”.

Com um peso bruto na ordem de 3,5 toneladas, o iX possui suspensão aprimorada e macacos embutidos para auto-recuperação. Também foi projetado para ser transportável por aeronaves de asa fixa e helicópteros, bem como para lançamento aéreo usando um pára-quedas.

O veículo, baseado em chassi de um fabricante de carros de rali dos Estados Unidos (não revelado), modificado pela John Cockerill Defense especialmente na área das suspensões, que são hidropneumáticas e também podem ser equipadas com mecanismo de altura controlada.

O protótipo apresentado está equipado com um motor V8, à gasolina, com 750 HP, porém o projeto contempla uma propulsão híbrida diesel/elétrica, de 800 HP, com estudos para um crescimento de até 1.000 HP. Com 800 HP a estimativa da empresa é de ter uma velocidade máxima 200 km/h em estradas, e 160 km/h no “deserto’, indo de 0 a 100 km/h em 6 segundos e com uma autonomia de 600 km. Seus freios foram dimensionados para permitir sua em apenas 40 metros, a partir da velocidade máxima em estrada. Com o motor híbrido, seria capaz de rodar por 40/50 km no modo totalmente elétrico, reduzindo significativamente a assinatura térmica e acústica.

Quanto a sua proteção balística, a empresa aproveitou sua experiência em blindagem de helicópteros, permitindo reduzir a massa que, junto da utilização de vidros blindados de safira, contribuiu para o baixo peso. A proteção declarada é de Nível 2 (STANAG 4569) contra ameaças balísticas e Nível 3 contra minas.

Sua tripulação é de dois homens e conta com um painel totalmente digital, com uma tela permite ao motorista obter todas as informações necessárias para sua condução, enquanto o comandante possui uma tela de alta resolução com as imagens capturadas por um sistema de câmeras da Safran Electronics & Defense, e ainda conta com a nova tecnologia da Cockerill chamada de “Information Superiority”, baseada na coleta de dados de alto desempenho, processamento de dados, com algoritmos embutidos baseados em inteligência artificial, partilha de dados, permitindo que outros veículos compartilhem toda a informação que garante excelente consciência situacional.

O Capacete Cockerill Smart, utilizado pelos operadores, é equipado com um sistema multimodal inteligente que interage com o humano, reduzindo a carga de trabalho e garantindo maior eficácia.

Seu armamento apresentado no evento causou espanto: um sistema de armas remotamente controlado (SARC), derivado do Cockerill CLWS, escamoteável e embutido no teto do veículo (em uma solução semelhante ao do Armadillo TA-2, da brasileira Mac Jee), e equipado com um canhão automático de 25x137mm, com giro de 360º e ângulo de elevação de +60º a -10º. Porém outras soluções podem ser utilizadas, como um canhão de 30x113mm, mísseis guiados antitanque (com 2 a 4 prontos para uso) ou lançadores de foguetes (sete tubos). Seu armamento secundário é uma metralhadora de 7,62x51mm ou 12,7x99mm (.50 BMG).

Realmente, o Cockerill iX é uma solução inovadora e uma concorrência de peso para o Armadillo TA-2.

Credito das imagens: John Cockerill Defense

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

No dia de hoje, 17 de abril, no Quartel General do Exército (QGEx), o general de exército Fernando José Sant’ana...

Nesta segunda-feira, dia 15 de abril, o Destacamento de Aviação do Exército no Comando Militar do Norte (Dst Av Ex/CMN)...

Começou no ultimo domingo, dia 14 de abril, a Operação “Jeanne d’Arc 2024”, exercício realizado pela Marinha do Brasil (MB)...

Santiago Rivas (*) Na manhã de hoje, 16 de abril, foi finalmente assinado o contrato de aquisição das 24 aeronaves...

Comentários

4 respostas

  1. Muito interessante esse conceito de sistema de armas retrátil! Lembro de já ter visto um blindado leve russo, 4×4 (que não recordo o nome o momento) durante um desfile militar que tinha uma torre armado ATGM`S, que também era retrátil.

  2. *O blindado 4×4 que referi no meu comentário anterior, e a família Typhoon de blindados leves russos.

  3. Torcendo pelo sucesso da Macjee, o combate na Ucrânia vem demonstrando a real necessidade de veículos multiproposito em combates urbanos e assimétricos, espero que as FAs brasileiras demonstrem o devido interesse e apoio a esta nova empresa!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL