ÁREA DO CLIENTE

CAEx apoia testes de detecção pelo Radar SENTIR M20

O Centro de Avaliações do Exército (CAEx), o “Campo de Provas da Marambaia/ 1948” apoiou, no período de 17 de abril a 5 de maio, a equipe de engenheiros militares do Centro Tecnológico do Exército (CTEx), responsável pelo projeto do radar de vigilância terrestre SENTIR M20, para execução de testes de probabilidade de detecção de pessoas e de viaturas leves e pesadas e de análise da capacidade para acompanhar quarenta alvos simultaneamente.

O SENTIR M20 é um radar portátil e facilmente transportável, de alcance curto, de até 20 km, empregado para detectar, rastrear e classificar objetos móveis no solo, tais como pessoas e veículos, ou em baixa altitude, como helicópteros e aeronaves de pequeno porte. O material foi projetado para missões de defesa de fronteira e vigilância de campos de batalha, assim como para aviso antecipado de possíveis ameaças na proteção de pontos sensíveis.

Os testes ocorreram na Linha V (Rampa) e integram a avaliação técnica do material de emprego militar (MEM) do radar SENTIR M20, cujo objetivo é assegurar que sejam atendidas todas as especificações técnicas necessárias para o emprego eficiente e seguro, ao dotar a Força Terrestre com maiores capacidades operacionais, como resultado da pesquisa e desenvolvimento (P&D) do Sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação do Exército (SCTIEx).

Fonte: Centro de Avaliações do Exército

COMPARTILHE

Respostas de 3

  1. O sentir M20 tem uma possibilidade única de evolução dos seus parâmetros, criando uma solução moderna sem equivalente para a detecção de drones e alvos terrestres em uma plataforma leve e transportável. A guerra da Ucrânia tem demonstrado a necessidade de se combater a ameaça dos drones no teatro de batalha moderno e as soluções a serem desenvolvidas não só são vitais para a defesa nacional, como também tem um grande potencial de exportação.

  2. O Brasil poderia testar esse equipamento em conjunto com a Ucrânia.
    Seria de grande valia para seu desenvolvimento final e apresentá-lo a futuros clientes como algo já testado em campo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *