Brigada Pára-quedista recebe radar SABER M60 2.0

No mês de março de 2024, a 21ª Bateria de Artilharia Antiaérea Pára-quedista (21ª Bia AAAe Pqdt) recebeu uma unidade do radar SABER M60 2.0, adquirido pelo Programa Estratégico do Exército Defesa Antiaérea (Prg EE DAAe).

O SABER M60 2.0 é um radar de busca, fabricado pela empresa brasileira Savis, do Grupo Embraer Defesa e Segurança, e se destina a mobiliar as seções de artilharia antiaérea de baixa altura do Exército Brasileiro

O Prg EE DAAe integra o Portfólio Estratégico do Exército (Ptf EE), cuja governança é de responsabilidade do Escritório de Projetos do Exército (EPEx).

Fonte: Escritório de Projetos do Exército

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

A AVIBRAS Indústria Aeroespacial S/A, que em tempos passados foi considerada uma das maiores empresas  de defesa do mundo, mas...

Empresas brasileiras destacam inovações e capacidades no cenário internacional A Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança...

Para celebrar os feitos dos mais de 25 mil homens e mulheres brasileiros que lutaram na 2ª Guerra Mundial, o...

Desde 1º de janeiro de 2023, o dr. Artur José Dian ocupa o cargo de Delegado-Geral da Polícia Civil do...

Comentários

5 respostas

    1. Não é meu trabalho, mas recomendo a leitura

      “https://bdex.eb.mil.br/jspui/bitstream/123456789/11179/1/TCC%20TEN%20DIEGO%20DA%20SILVA%20SANTOS%20-%202015.pdf”

    2. Estuda se a Doutrina de lança lo com todos seus matérias por meio de paraquedas com proteções contra impactos, de modo que seja utilizado atrás das linhas inimigas em sua conjuntura de apoio.

    1. O nome oficial da organização militar é “Brigada de Infantaria Pára-quedista”, com hífen e acento agudo no “a”, e esta grafia utilizada vem de 30 de junho de 1952.
      Ou seja, estou utilizando o nome próprio da OM, e não só neste artigo, mas em todas as citações a ela, ou as suas OMs subordinadas, em T&D.
      https://www.bdainfpqdt.eb.mil.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL