Brasil e Itália firmam parceria no setor de defesa

Nesta terça-feira, dia 21 de dezembro, o ministro da Defesa, Walter Souza Braga Netto, participou de uma reunião, por videoconferência, com o ministro da Defesa da Itália, Lorenzo Guerini, com o propósito de assinar carta de intenções para fortalecer a cooperação bilateral no setor de Defesa e Segurança.

O instrumento dá ênfase ao setor de aquisição de produtos de Defesa, além de formalizar os esforços para o fortalecimento da participação em atividades conjuntas de cooperação científica e tecnológica, bem como para a promoção de intercâmbios de conhecimentos e experiências junto às indústrias de Defesa. Visa, também, empreender formas de parceria industrial voltadas para pesquisas científicas, inovação, marketing, atividades de exportação e importação, e de investimentos.

Ao destacar a força da Base Industrial de Defesa (BID) brasileira, que, atualmente, representa cerca de 4,78% do Produto Interno Bruto (PIB) e gera 2,9 milhões de empregos diretos e indiretos, o ministro Braga Netto pontuou que a atual parceria com a Itália deve intensificar o desenvolvimento socioeconômico. “Em novembro deste ano, as exportações brasileiras de material de Defesa atingiram novo recorde com o volume de 1,5 bilhão de dólares. A nossa Base Industrial de Defesa busca por autonomia tecnológica, e, nesse sentido, o mercado italiano se apresenta promissor para novos projetos bilaterais”.

Durante a reunião, os ministros da Defesa destacaram a parceria na área de projetos de Defesa, que perdura desde os anos 70 e 80, bem como o interesse em estabelecer novas parcerias estratégicas que possam fomentar a BID dos dois países.

Prestigiaram a reunião o ministro conselheiro da Embaixada da República Italiana no Brasil, Fernando Pallini; o assessor especial militar do ministro, general de divisão Josias Pedrotti da Rosa; o secretário de Produtos de Defesa (SEPROD), Marcos Degaut; o diretor do Departamento de Promoção Comercial (DEPCOM), brigadeiro do ar José Ricardo de Meneses Rocha; o adido de Defesa da Itália no Brasil, coronel aviador Antonio Felicissimo; e demais autoridades do Ministério da Defesa da Itália.

Texto:  Rízia Rocha / Ministério da Defesa
Fotos: Igor Soares

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Na tarde de hoje, 27 de maio, um comboio com três viaturas blindadas de transporte de pessoal (VBTP) 6X6 Guarani,...

No dia de hoje, 24 de maio, a Agência de Cooperação de Segurança de Defesa (Defense Security Cooperation Agency – DSCA)...

A capital turca, Istambul, foi palco de discussões sobre segurança e defesa nos dias 21, 22 e 23. A Feira...

De acordo com a portaria nº 443-COTER/C Ex, o Exército Brasileiro (EB), através do Comando de Operações Terrestres (COTER), constituiu...

Comentários

7 respostas

  1. Boa noite Senhores camaradas do Tecnodefesa!

    Inicialmente agradeço a divulgação da informação.
    Quantos as possibilidades, eu vejo que podem ir mais além do que o Centauro II, nossa FAB carece de um treinador a reação desde que os AT26 deram baixa, quem sabe um acordo mais amplo neste sentido (M346 sonho) ou o menos conhecido 345 mas igualmente capaz para a função a que se propõe. Mencionei apenas estas duas possibilidades, mas o leque é amplo.

    CM

    1. Cláudio, a necessidade de um avião de treinamento a jato, como um LIFT, depende de cada Força Aérea. A FAB já opera há muitos anos o turboélice A-29. Na França, essa função e realizada pelos também turboélices Pilatus PC-21. O M-345, citado por ti, e o A-29 tem desempenhos não tão diferentes assim:

      A-29:

      • Velocidade máxima nivelada: 590 km/h

      • Velocidade de estol: 148 km/h

      • Alcance de traslado: 1 445 km (combustível interno) e 2 855 km (com tanques externos)

      • Teto de serviço: 10 665 m

      • Fatores de carga: +7 G / −3,5 G

      • Carga de armamento : 1500 kg

      M-345:

      • Velocidade máxima: 740 km / h

      • Velocidade de estol: 170 km / h

      • Alcance: 1.410 km (880 mi, 760 nm)

      • Teto de serviço: 12.190 m (39.990 pés)

      • limites de g: + 7,0 / −3,5

      • Carga de armamento: 1200 kg

  2. Em se tratando de Italia, a Senasp já está recebendo as primeiras Beretta APX 9mm e está distribuindo para os Estados. O governo de SC disse que comprará 11 mil APX. O governo do MS comprará um pouco menos.

    1. Creio que nos 3 casos (Senasp, SC, MS) estão baseados na licitação promovida pelo Ministério da Justiça no ano passado.

  3. Prezados: e a possibilidade de exportação dos KC390 para a Itália? Há alguma novidade a respeito?
    Abs

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL