ÁREA DO CLIENTE

Áustria escolhe o C-390 Millennium para substituir o C-130K Hercules

Depois do Brasil, Portugal, Hungria e Holanda, a Áustria anunciou que vai adquirir o moderno jato de transporte tático militar Embraer C-390 Millennium. A decisão foi anunciada pelo Ministério da Defesa da Áustria que revelou detalhes sobre os motivos que levaram à essa escolha.

O Pandur EVO com a torre de armas instalada, que pode ser embarcado no C-390 sem a necessidade de desmontá-la.

Segundo aquele Ministério, serão comprados três aviões com a opção para mais um quarto exemplar. O custo unitário varia de 130 a 150 milhões de euros e a escolha se deu pelas características únicas que o C-390 oferece para um avião da sua categoria, incluindo a potência, velocidade, carga paga, capacidade de transporte de pessoas, aviônicos e a compatibilidade de embarque do veículo blindado de transporte de tropas 6×6 Pandur EVO com a torre de armas já instalada.

Além disso, o país ressaltou a cooperação com a Holanda no segmento de transporte aerologístico e, dessa forma, a padronização com um mesmo sistema é fundamental para melhorar a cooperação.

O Ministério da Defesa Austríaco lembrou que a frota de três C-130K não oferece a disponibilidade necessária para atender às demandas do país de forma permanente em qualquer tempo.

Os próximos passos após a escolha estão no estabelecimento e assinatura do contrato que incluirá o treinamento de pilotos e mecânicos. A expectativa é que o primeiro exemplar seja entregue em 2026 ou 2027 depois da assinatura do contrato e considerando um prazo de produção de 24 a 36 meses.

O C-390 deverá ficar em serviço ativo por pelo menos 30 anos naquele país e é prevista a aquisição do sistema de combate a incêndio MAFFS II ampliando o leque de missões.

A base de operações será em  Linz – Hörsching Air Base e estão previstas modernizações, adaptações  ampliação das instalações para receber a nova aeronave.

Por fim, o contrato não inclui nenhum acordo de transferência de tecnologia, porém o Ministério da Defesa ressaltou que o segmento civil da Embraer possui relações com a indústria aeronáutica austríaca por meio da empresa de produção de interiores FACC e da Austrian Airlines que opera com 17 Embraer 175.

COMPARTILHE

Respostas de 8

  1. O interessante é que estas encomendas são de países os quais o Brasil não tem tradição de aquisições de materiais militares. Assim sendo, não me conformo do fato de não haverem encomendas da Suécia, França e Alemanha. Inclusive, poderia ter sido show se aquele esquadrão conjunto França / Alemanha, em formação, estivesse sendo equipado com KC-390 ao invés de KC / C-130 Super Hércules novos.

    1. França e Alemanha tem o A400 Atlas, além de serem Otan faz tempo (leia-se cliente dos EUA). Suécia resolveu entrar também, e com isso teve que “pagar o pedágio”. Ao menos conseguimos emplacar vendas importantes no bloco, que podem abrir caminho para outras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *