As novas viaturas blindadas de combate fuzileiros da Austrália

2
2528

Por Giacomo Cavanna, Ares Osservatorio Difesa (*)

O Ministério da Defesa da Austrália anunciou que recebeu todos os seis protótipos dos infantry fighting vehicle (IFV), ou viatura blindada de combate fuzileiros (VBC Fuz), da concorrência Land 400 Phase 3 do Exército Australiano (EA), cujo vencedor deverá ser anunciado no próximo ano.

As empresas Hanwha Defense Australia e a Rheinmetall Defense Australia entregaram, cada uma, três veículos, sendo dois para avaliações operacionais, táticas e logísticas e o terceiro para testes de resistência à explosão.

A concorrência prevê a aquisição de até 450 IFV, por um valor entre 11,5 e 17 bilhões de euros, para substituir os atuais M113AS4 dentro de seu programa Mounted Close Combat Capability, ou capacidade de mobilidade em combate aproximado, em uma tradução literal.

Hanwha Redback

O AS21 Redback tem seu peso em torno de 42 toneladas e pode transportar oito combatentes e três tripulantes. É uma adaptação do K21 IFV, que está em serviço no Exército Sul-Coreano desde 2009, adaptado para atender as necessidades australianas.

É movido por um motor MTU diesel, de oito cilindros e cerca de 1.000 HP, com uma transmissão automática Alisson, a mesma do carro de combate M1A1 Abrams do EA, que, aliados a uma suspensão é independente, composta por sete rodas, que permite uma adaptação individual a qualquer tipo de superfície, lhe garante uma velocidade máxima de cerca de 65 km/h em terrenos acidentados, com uma autonomia de 520 Km.

Está equipado com uma nova torre modular T2000, para dois homens, desenvolvida pela empresa australiana EOS Defense Systems em cooperação com a Elbit Systems e baseada MT30. Projetada especialmente para atender os requisitos do Land 400, particularmente nas áreas de integração de sistemas, consciência de situação e treinamento a bordo, combina a estrutura e o hardware de propulsão elétrica do MT30, que a EOS integrou ao sistema de controle de fogo, eletro-óptica e a interface utilizadas pelo EA.

Armada comum canhão Northrop Grumman Bushmaster Mk44S, de 30×173 mm, uma metralhadora coaxial MAG58, de 7,62 mm, e dois mísseis guiados antitanque (ATGM) Spike LR2. Possui o sistema de proteção ativa Iron Fist. Há também um sistema de armas remotamente controlado (SARP) R400S Mk2 RWS, montada no teto.

Rheinmetall Lynx

O Lynx KF41 é um veículo inteiramente novo, desenvolvido pela Rheinmetall Defense e apresentado pela primeira vez ao público internacional na feira Eurosatory 2018. Pesa cerca de 50 toneladas possui a mesma capacidade do Redback (8 combatentes e 3 tripulantes). Ainda não foi adotado, mas possui uma arquitetura eletrônica comum com o Boxer 8×8, recentemente adquirido pelo EA, e já existem outras variantes, como veículos de comando, recuperação e ambulâncias.

É movido por uma unidade a diesel Liebherr (800 kW / 1.050 PS) com uma transmissão automática da série Renk HSWL 256. A velocidade máxima é de 70 km/h sua autonomia é de cerca de 500 km.

Seu poder de fogo vem da torre Lance, da Rheinmetall, a mesma do Boxer, que possui um canhão Mauser MK30-2, de 30 mm, e uma metralhadora de 7,62 mm, montada coaxialmente, sendo essa a mesma configuração da variante do Boxer encomendada. A metralhadora é alimentada externamente e possui três canos, se um tubo atinge uma temperatura crítica, o feixe de tubos é girado eletricamente em um tubo alternativo: um processo que, de acordo com Rheinmetall, pode ser concluído em menos de três segundos. Esse veículo pode ser equipado com a torre Lance 2.0, armado com o canhão Wotan 35, de 35×228 mm.

Ambas as torres possuem um sistema de visão digital, um telêmetro a laser integrado e um sistema de controle de fogo controlado por computador, além de contêineres integrados que podem ser instalados lançadores de ATGM do tipo Spike LR2. Também poderão receber o sistema de proteção ativa Iron Fist.

 

Nota do Editor

É interessante observar de perto esse programa, pois muitos de seus requisitos são semelhantes ao da VBC Fuz do Subprograma Forças Blindadas (SPrg FBld) do Exército Brasileiro.

Paulo Roberto Bastos Jr

(*) Ares Osservatorio Difesa é uma Associação Cultural italiana, fundada em 12 de abril de 2019, em Roma, para a análise e estudo de questões nacionais e internacionais relacionadas as áreas de defesa e segurança, e parceira de Tecnologia & Defesa no intercâmbio de informações, para manter os leitores atualizados das notícias importantes que ocorrem entre os dois países

 

 

 

 

 

 

 

2 Comentários

  1. Pelo exposto na matéria, me parece bem claro que o EA escolherá o Lynx. Mais moderno, com comunalidade com blindados que já fazem parte do inventário do EA, bem armado e com uma arquitetura eletrônica de primeiro mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here