Airbus realiza os primeiros contatos de reabastecimento totalmente automáticos do mundo

A Airbus alcançou um feito até então inédito, a primeira operação de reabastecimento ar-ar (A3R) totalmente automática com um sistema de lança.

A campanha de testes de voo, realizada no início do ano sobre o Oceano Atlântico, envolveu uma aeronave de teste A330 MRTT da Airbus equipada com a solução Airbus A3R, mais um caça F-16 da Força Aérea Portuguesa atuando como receptor.

Esse marco faz parte da fase de industrialização dos sistemas A3R antes de sua implementação no desenvolvimento do avião-tanque A330 MRTT.

A campanha alcançou um total de 45 horas de teste de vôo e 120 contatos secos com o sistema A3R, cobrindo todo o envelope de reabastecimento aéreo, pois o F-16 e o ​​MRTT consolidam a maturidade e as capacidades do desenvolvimento nesta fase.

A fase de certificação começará em 2021.

Didier Plantecoste, chefe dos programas de aviões-tanque e derivados da Airbus, disse: “A conquista deste marco fundamental para o programa A3R destaca o excelente desenvolvimento do roteiro de capacidade do A330 MRTT e mais uma vez confirma que nosso avião-tanque é a referência mundial para operações de reabastecimento atuais e futuras. Nossos agradecimentos especiais à Força Aérea Portuguesa por seu apoio contínuo e ajuda nesse desenvolvimento crucial”.

O sistema A3R não requer nenhum equipamento adicional na aeronave receptora e visa reduzir a carga de trabalho do operador de reabastecimento aéreo (ARO), melhorar a segurança e otimizar a taxa de transferência de reabastecimento ar-ar em condições operacionais, ajudando a maximizar a superioridade aérea.

O objetivo do sistema A3R é desenvolver tecnologias que atinjam recursos totalmente autônomos.

Uma vez que o sistema é ativado pelo ARO, o A3R voa a lança automaticamente e mantém o alinhamento entre a ponta da lança e o receptáculo com precisão de alguns centímetros; o alinhamento adequado e a estabilidade do receptor são verificados em tempo real para manter uma distância segura entre a lança e o receptor e também para determinar o momento ideal para estender o feixe telescópico para alcançar a conexão com o receptor.

Nesse ponto, a transferência de combustível é iniciada para a aeronave receptora e, uma vez concluída, a desconexão é comandada, a lança é afastada do receptor para manter uma distância de separação segura.

Durante esse processo, o ARO simplesmente monitora a operação.

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) planeja testar uma das mais avançadas tecnologias de imageamento por satélite. Isso será...

A IACIT fortaleceu sua posição no mercado ao estabelecer uma colaboração estratégica com a Omnisys Engenharia, subsidiária da Thales, e a Meteomatics,...

A MBDA assinou uma emenda contratual com a Organização para Cooperação Conjunta em Armamento (OCCAR) para aumentar as capacidades técnicas...

A equipe de Tecnologia & Defesa esteve a bordo do super navio-aeródromo USS George Washington (CVN 73), um navio de...

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL