AGR realiza estágio de operação e manutenção do SARC UT30BR

8
1590

Entre os dias 13 e 17 de setembro, o Arsenal de Guerra do Rio (AGR), Organização Militar diretamente subordinada a Diretoria de Fabricação (DF), por intermédio de sua Divisão Industrial (DI), realizou o Estágio de Operação e Manutenção de 1º e 2º escalões do Sistema de Armas Remotamente Controlado (SARC) UT30BR, que equipa uma versão da viatura blindada de transporte de pessoal – média sobre Rodas (VBTP-MSR) 6X6 Guarani, com o objetivo de difundir conhecimentos acerca da manutenção deste sistema de armas. Foram capacitados militares do Parque Regional de Manutenção da 5ª Região Militar (Pq R Mnt/5), 15º Batalhão Logístico (15º B Log) e do Centro de Instrução de Blindados (CI Bld) “General Walter Pires”, além de militares do próprio AGR.

Durante o estágio, o qual foi ministrado em um formato didático pautado na mescla entre discussão teórica e a ênfase na parte prática, os estagiários tiveram instruções acerca dos procedimentos de operação e manutenção de 1° escalão (identificar os diagramas de blocos e componentes), diagnosticar possíveis panes de 2° escalão de manutenção e realizar a manutenção de 1° escalão do canhão ATK Bushmaster MK44 30×173 mm. No decorrer do treinamento, foi realizada uma visita à empresa ARES Aeroespacial e Defesa, onde apresentaram a UT30BR desmontada e em processo de manutenção, bem como o uso do simulador.

Por ocasião do encerramento do estágio, o diretor do Arsenal de Guerra do Rio, o tenente-coronel QEM Juacy Aderaldo Menezes, entregou os certificados de conclusão aos militares participantes e, em sua fala, parabenizou a todos os estagiários pela dedicação e empenho demonstrados ao longo das instruções. Ressaltou que, a partir de agora, eles serão os elementos multiplicadores dos conhecimentos auferidos, em suas respectivas guarnições, o que propiciará a elevação do índice de disponibilidade e aumento da vida útil do armamento em questão.

Com informações e imagens do AGR

 

Veja também

Arsenal de Guerra do Rio garante a manutenção das UT30BR

8 Comentários

  1. Paulo me corrija se eu estiver errado mas na foto dos simuladores tinha uma torre 30 mm de perfil mais alto e no Guarani tinha uma de perfil mais baixo, já vi foto de ambas nos Guarani operacionais, qual delas é a torre padrão do EB? Abraços!

  2. Tem duas versões da torre e a mais moderna é mais baixa e mais peoxima das tradicionais. Porem o.primeiro modelo tambem fica baixo quando está em perfil de transporte e segementos são ” recolhidos”. O EB adquiriu so.o primeiro modelo e foram apenas 12 ou 13.

  3. Não existem duas versões dessa torre, montada em um Guarani. Existe apenas uma: UT30BR, que possui desde sua aquisição, a mais de uma década atrás, um sistema de elevação para o canhão, entregando a capacidade de ser rebatida para um perfil mais baixo, como se vê em algumas fotos.

  4. Cada vez que olho para o Guarani fico tentando encontrar a dificuldade do EB em dar sequência ao projeto do Guarani 8×8… Se já existe a Fábrica implantada, fornecedores selecionados, bastaria definir a torre, nacionalizar alguns itens, ajustar a suspensão e demais aspectos… O Brasil precisa demais de uma plataforma desse tipo. Poderia ser a base até de um sistema de MSA de média altura e mesmo o substituto dos Guepardos no futuro, a partir de uma torre como a disponibilizada pela Turquia…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here