AGR entrega novo lote de equipamentos de visão noturna

Em 27 de janeiro, o Arsenal de Guerra do Rio (AGR), organização subordinada a Diretoria de Fabricação (DF) do Exército Brasileiro (EB), realizou a entrega de mais um lote de equipamentos de visão noturna (EVN) para o Batalhão de Manutenção e Suprimento de Armamento (BMSA) que passaram manutenção especifica de Arsenais (manutenção de 3º e 4º escalão).

O lote entregue foi composto de EVN dos modelos LORIS, LUNOS, MUNOS e AN/PVS-7 Bravo, que serão distribuídos a diversos batalhões do EB, assegurando o aumento de sua capacidade combativa e operacional , dessa forma, o AGR, mais uma vez, reafirma o seu compromisso fabricação e manutenção de materiais de emprego militar, com soluções tecnológicas de vanguarda, em prol do Exército.

Fonte: Seção de Comunicação Social do AGR

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) planeja testar uma das mais avançadas tecnologias de imageamento por satélite. Isso será...

A IACIT fortaleceu sua posição no mercado ao estabelecer uma colaboração estratégica com a Omnisys Engenharia, subsidiária da Thales, e a Meteomatics,...

A MBDA assinou uma emenda contratual com a Organização para Cooperação Conjunta em Armamento (OCCAR) para aumentar as capacidades técnicas...

A equipe de Tecnologia & Defesa esteve a bordo do super navio-aeródromo USS George Washington (CVN 73), um navio de...

Comentários

3 respostas

  1. Como esta o Fluxo de fabricação de miras para o IA2, sendo estas holográficas e com visão noturna ?

  2. Essas unidades como o AGR, AGSP, etc. Deveriam ser encampadas por concessão a IMBEL. Está por sua vez deveria ter o seu capital aberto para receber recursos e estabelecer parcerias com empresas do setor, tendo o estado como o seu acionista majoritário e mantendo poder de veto sobre qualquer decisão que impactassem sobre questões de defesa nacional. Também deveriam estabelecer uma política de contratação especial que viabilizasse a contratação de pessoal estrangeiro com experiência em programas de defesa. Poderíamos contratar engenheiros indianos, russos, europeus cansados do frio… Para colaborar nos nossos projetos, alguns que se arrastam a anos como o Míssil MSS 1.2 ou os óculos de visão noturna nacionais da Opto.. que hoje acho ambos já estão morto…

  3. Pra mim, todas as unidades de fronteira, Amazônia e unidades de pronto-emprego, deveriam ter equipamentos de visão noturna individual e coletivo. Essas unidades geralmente são as mais propensas a entrar em ação real e para isso, deveriam ter prioridade na dotação de armamento e equipamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL