AGR desenvolve Kit de blindagem para equipamentos de engenharia

3
1866

Por major Márcio Leão e tenente Renato Martins, do AGR

Durante a Intervenção Federal na Segurança Pública no Estado do Rio de Janeiro, o Exército Brasileiro (EB) demandou alternativa para minimizar a vulnerabilidade da viatura de transporte não especializada (VTNE), 3/4 ton, 4X4 Marruá AM21. Desta forma, o Arsenal de Guerra do Rio (AGR), organização militar subordinada à Diretoria de Fabricação do Exército, projetou e fabricou reforços balísticos para a viatura, de modo que garantisse a segurança dos militares no teatro de operações.

Devido ao sucesso do projeto, a Diretoria de Material de Engenharia (DME) demandou o desenvolvimento e produção ao AGR de uma blindagem em forma de kits aos equipamentos de engenharia disponíveis na tropa, permitindo a conservação da estrutura inicial das viaturas e a instalação da blindagem sem danos críticos à viatura de engenharia.

O kit de blindagem para a VTNE Marruá do AGR, foi uma solução simples e eficiente para um problema urgente, se mostrou extremamente eficiente durante a intervenção federal n Rio de Janeiro (Foto: EB)

A missão foi entregue ao AGR possuindo o requisito de proteger o combatente de disparos em ocasiões diversas, principalmente em missões de garantia da lei e da ordem (GLO), suportando disparos em níveis de munição com calibres 5,56×45 mm e 7,62×51 mm.

O kit de blindagem se apresentará com chapas balísticas de espessura de 6 mm, homologadas pelo Exército, sendo ao todo aproximadamente 450 kg, incluindo pontos estratégicos de vidro balístico para o operador poder operar sem o prejuízo de movimentação do veículo e operação dos implementos.

Desenvolvimento e instalação do protótipo do kit (Fotos: AGR)

Com o apoio do 1º Batalhão de Engenharia de Combate Escola (1º BE Cmb
Es), ao final de 2021 foi concluído o “mock-up” na pá-carregadeira sobre rodas Caterpillar, modelo 924H, bem como o desenvolvimento de todo o sistema de fixação.

Por meio de softwares de simulação e desenho 3D, foi permitido elaborar o projeto, analisando de forma detalhada as fixações, desenhos, esforços, entre outros aspectos de projeto.

Previsto para o segundo semestre de 2022, serão realizados testes junto ao Centro de Avaliação do Exército (CAEx) para certificar a viatura blindada baseando-se em avaliações padronizadas por normas. Este projeto trará novas capacidades para os equipamentos de engenharia, pois adicionará segurança ao operador.

O fim deste projeto balístico, o AGR terá ganhado um aprendizado essencial para sua ascendente capacidade fabril, colocando em linha mais um projeto inovador na ativa. Com a conclusão deste projeto, as Forças Armadas receberão novas carregadeiras, escavadeiras e retroescavadeiras para sua tropa, potencializando a proteção balística da mesma como um todo.

A primeira apresentação pública deste projeto ocorreu na cerimônia de aniversario de 260 nos do Arsenal de Guerra do Rio (Fotos: Paulo Bastos)

3 Comentários

  1. UM VEÍCULO TIPO MARRUA COM BRINDAGEM ADICIONAL, É IMPORTANTE UMA VEZ QUE PODEM TRABALHAR EM ÁREAS DE EXTENSO CONFLITO. UM TRATOR BLINDADO, QUE EVENTUALMENTE TRABALHA ATRÁS DAS LINHAS DE COMBATE, OU ATÉ PRÓXIMO, ACHO UM TANTO EXAGERADO UMA VEZ QUE QUEM DEVE DAR PROTEÇÃO A ESSE VEÍCULO SÃO AS TROPAS POSICIONADAS EM LUGARES ESTRATÉGICOS NO LOCAL, AFASTANDO QUALQUER AMEAÇA AO TRATOR. EM TODO O CASO….

    • O BOPE/RJ emprega esses tratores sob mira de fuzis.
      Já mal comparando, os israelenses tem um trator blindado que parece um monstro, logicamebte num cenario mais intenso. Mas o EB deve estar atento sim.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here