A vez dos veículos não tripulados para a Marinha do Brasil

De 24 a 27 de outubro, a Marinha do Brasil (MB) realizou o exercício MINEX 2023 voltado para a varredura e ações de Guerra de Minas.

Tendo a 16ª maior costa do mundo, com 7.491 km de extensão, o Brasil tem grande preocupação com a vigilância e patrulha do seu mar territorial devido ao valor estratégico, o tráfego marítimo e o impacto deste em termos de recursos naturais, ambientais e econômicos para o país. O adestramento para manter a capacidade de varredura das minas marítimas é preponderante para garantir essa segurança.

Realizada nas águas da Baía de Todos-os-Santos, na Bahia, no nordeste brasileiro, a área do treinamento contou com o lançamento das minas de exercício SH-60E e dos Mine Like Objects.

A principal novidade foi o emprego inédito, no Brasil, de veículos não tripulados. Foram usados o Veículo de Superfície Não Tripulado (VSNT-Lab), do Centro de Análises de Sistemas Navais, a partir do Navio-Patrulha Oceânico “Apa”; e do VSNT SUPPRESSOR X, desenvolvido pela Empresa Gerencial de Projetos Navais (EMGEPRON), em parceria com a Tidewise.

Os veículos autônomos podem ser comandados à distância, possuem sistema de transmissão em tempo real e dispõe de todos os sensores capazes de detectar, localizar e identificar alvos submersos.

Depois de identificadas, as minas foram neutralizadas por meio de varredura mecânica, onde é feito o rompimento dos cabos que as mantém e posteriormente prosseguiu com a sua desativação por meio dos mergulhadores especializados em Desativação de Artefatos Explosivos.

“Foram dez meses de planejamento que envolveram, direta ou indiretamente, diversos setores da Marinha: operativo, do material, de pessoal, de pesquisa e científico-tecnológico. Durante a MINEX, realizamos procedimentos operativos que virarão procedimentos doutrinários, fazendo com que os resultados possibilitem à Marinha evoluir ainda mais na guerra de minas e contramedidas de minagem, assim como na operação dos Sistemas Marítimos Não Tripulados, que foram utilizados de forma inédita na América do Sul”, disse o Comandante do 2º Distrito Naval, Vice-Almirante Antonio Carlos Cambra.

O VSNT é uma prospecção tecnológica de veículos autônomos que envolveu vários órgãos da MB, uma parceria com a Embraer e a financiadora de Estudos e Projetos (FINEP).

Por sua vez, o VSNT SUPPRESSOR X, primeira embarcação aut6onoma de superfície com tecnologia nacional. Ele possui 11m de comprimento, boca de 2,95m, velocidade máxima de 35knots, velocidade de varredura de 6 a 8 knots, deslocamento de 8 toneladas, dois motores waterjets e é equipado com radar de navegação, 3D LIDAR e câmera PTZ sobre a água e sonar multifeixe de casco abaixo d’água.

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Empresa do Grupo Embraer participa de debate sobre soluções tecnológicas que estão moldando o futuro dos grandes centros urbanos As...

Hoje, dia 16 de maio, às 18:00hs, será lançado o livro “Segurança Escolar – Prevenção multidisciplinar escolar contra-ataques ativos”, de...

Um drone do Exército Brasileiro (EB) localizou, no fim da tarde dessa terça-feira, dia 14, moradores pedindo ajuda no topo...

A Águas Azuis, Sociedade de Propósito Específico (SPE), estabelecida entre a Thyssenkrupp Marine Systems, Embraer Defesa& Segurança e Atech para...

Comentários

3 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DISPONÍVEL