A Aviação Naval Colombiana coloca em operação seus helicópteros Bell 412 e AS365

0
959
O Bell 412 ARC 213 (Foto Erich Saumeth)

Por Erich Saumeth (*)

A Armada da Colômbia (ARC), por meio do Grupo Aeronaval del Caribe (GANCA), iniciou o destacamento de seus helicópteros como Bell Helicopters (Textron Aviation) 412SP e 412EP, no desenvolvimento de operações antiterrorismo no norte do país.

Em apoio às ações de patrulhamento, vigilância e controle que o Corpo de Fuzileiros Navais implementa, por meio de seus Batalhões de Infantaria nº 13 e 14, a ARC implantou pelo menos dois Bell 412, para fornecer cobertura aérea e apoio de fogo às unidades em solo, após receber uma ordem presidencial para localizar e destruir as estruturas do grupo paramilitar Autodefensas Gaitanistas de Colombia (AGC), também conhecidos como Clan del Golfo, que cometem crimes na área.

O Bell 412 ARC 228 preparando-se para mais uma surtida (Foto Erich Saumeth)

Voos constantes

Foi implementado um dispositivo que inclui a presença não só de tropas em terra e meios móveis, mas também de sobrevoos constantes da Aviação Naval. Tecnologia & Defesa teve a oportunidade de acompanhar vários desses sobrevoos a bordo dos Bell 412 ARC 213 e ARC 228, que ocorreram nas zonas alta e baixa da região de Los Montes de Maria, município de El Carmen de Bolívar, em missões de vigilância e elementos de apoio dos fuzileiros navais no solo.

Cada uma dessas aeronaves possui duas metralhadoras FN America LLC M240H, calibre 7,62×51 mm, localizadas na sua lateral e operadas manualmente, além de sistemas de voo noturno (Flir). Essas tarefas também são apoiadas por o helicóptero Airbus AS365 Dauphin ARC 251, que opera como transporte e ligação entre o comando da Fuerza Naval del Caribe (FNC) e os batalhões de fuzileiros.

Vista da metralhadora 7,62 mm M240H na lateral de um Bell 412 (Foto Erich Saumeth)

Os helicópteros passam a operar permanentemente entre a base operacional da GANCA, localizada no aeroporto de Cartagena de Indias, e uma base operacional temporária, localizada no aeroporto El Carmen de Bolívar, cobrindo assim toda a região.

Estas aeronaves têm apoiado da mesma forma o processo de regresso das famílias que se deslocaram à zona urbana, voltando a região graças e precisamente à presença aérea e terrestre da ARC, da Polícia Nacional e o acompanhamento institucional da Prefeitura de El Carmen de Bolívar e do Governo de Bolívar.

As operações aéreas da GANCA nesta área estão sob o comando direto do vice-almirante Andrés Vásquez, comandante do FNC, que em declarações à T&D garantiu que os dispositivos aéreos e de segurança serão mantidos até que o desmantelamento das estruturas terroristas seja realizado. que cometem crimes na região.

 

(*) Erich saumeth é analista e pesquisador colombiano em questões e assuntos de defesa, segurança e geopolítica, e colaborador de Tecnologia & Defesa na Colômbia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here