23ª Brigada de Infantaria de Selva é certificada como FORPRON

0
1905

De 20 de novembro a 5 de dezembro, o Comando Militar do Norte (CMN), juntamente com o Centro de Adestramento-Leste (CA-Leste), realizou a certificação da 23ª Brigada de Infantaria de Selva (23ª Bda Inf Sl) como Força de Prontidão (FORPRON) do Exército Brasileiro voltada para a Defesa da Pátria, cuja preparação assegura o nível de eficiência operacional da tropa desejado.

A certificação é um exercício que atesta a preparação da 23ª Bda Inf Sl para o cumprimento das missões nas diversas hipóteses de emprego da tropa, como resposta imediata da Força Terrestre em situações de combate. Dessa maneira, a Força deve se preparar para a dissuasão de ameaças, buscando atingir o mais alto nível compatível com os recursos disponíveis. Assim sendo, a Força Terrestre necessariamente precisa manter suas tropas em permanente estado de prontidão operacional.

Por meio do Sistema de Simulação do Exército Brasileiro (SSEB) e do Sistema de Prontidão Operacional (SISPRON), é possível realizar simulações construtivas e vivas, dentro de temas táticos, que são previstos em diversas hipóteses de emprego, permitindo a manutenção do nível de adestramento denominado “preparação completa” atingido pela Força, mantendo seu poder de combate, avaliadas e certificadas em sua capacitação operacional.

O 52º Batalhão de Infantaria de Selva (52º BIS), como Força de Prontidão da 23ª Bda Inf Sl, participou da certificação que se constituiu por duas fases. Na 1ª Fase, de 20 a 27 de novembro, foi realizada nas dependências do 23º Batalhão Logístico de Selva a simulação construtiva, na qual o CMN certificou o Comando e Estado Maior da 23ª Bda Inf Sl e suas OM subordinadas, por meio de um tema tático em situação de guerra.

Na 2ª Fase, de 28 de novembro a 5 de dezembro, ocorreu a simulação viva, dentro de um tema tático coerente com as missões prioritárias do Batalhão, quando foram realizadas as seguintes ações:

  • Apronto operacional;
  • Marcha para o combate por estrada em terreno de selva;
  • Marcha para o combate através selva seguido de uma infiltração tática por pelotões; e
  • Ataques a uma posição defensiva do inimigo e defesa de uma área de combate, estabelecendo pontos fortes e posições defensivas circulares no terreno.

No final do exercício, o CA-Leste empregou cadernetas de certificação contendo as fichas de observação acerca do trabalho de comando e estado-maior, de trabalho de comando das subunidades e escalões inferiores e dos objetivos de adestramento, a fim de balizar a avaliação do exercício.

Fonte: 52° BIS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here