SAM RBS 98 é testado pelo Exército Sueco em Vidsel (Míssil Iris-T)

4
2755
O Exército Sueco está desenvolvendo uma versão lançada no solo do míssil IRIS-T, designado RBS 98, para substituir o sistema de mísseis RBS 70, classificado como MANPADS.

O sistema de mísseis de defesa aérea RBS 98 foi testado no local de testes da Administração Sueca de Material de Defesa (FMV) em Vidsel em 5 de novembro.

O Exército Sueco está desenvolvendo uma versão lançada no solo do míssil IRIS-T, designado RBS 98, para substituir o sistema de mísseis RBS 70, classificado como MANPADS.

O novo SAM oferece maior alcance, velocidade, altitude de engajamento e um sistema de guiamento IR de matriz ativa que, combinado a vetoração de empuxo da exaustão, tornam o RBS 98 muito superior a qualquer versão do RBS 70 guiado a laser.

Sistemas como o novo RBS 98 são inteligentes e fáceis de manusear, demandando um número menor de soldados.

Torna-se possível agir mais cedo, a distâncias maiores e contra vários alvos. Um pré-requisito para obter o máximo efeito e ajustar as táticas ao máximo é que os novos sistemas possuam a capacidade fora da estrada, de preferência em um veículo de esteiras.

No caso do RBS 98, quatro mísseis são transportados em uma versão especial de um veículo blindado de esteiras BV 410.

O gerente de projeto para a introdução do novo sistema nas Forças Armadas suecas, major Joakim Olsson, não forneceu detalhes sobre o teste, pois grande parte do trabalho ainda é classificado. “Temos muito a fazer com a verificação dos dados obtidos, mas estamos convencidos de que as Forças Armadas da Suécia terão um sistema muito competente que fornece uma capacidade operacional significativamente maior”, afirmou Olsson.

E o trabalho sueco está despertando o interesse de outros Países.

O Exército Norueguês decidiu, em 2016, adquirir um sistema móvel de defesa aérea terrestre em uma compra direta com a Kongsberg Defense & Aerospace.

As entregas, que devem ser finalizadas em 2021, preconizam que o sistema reutilizará o comando e controle do sistema SAM NASAMS (de concepção Norueguesa) e suas soluções de rede, para criar um “sistema de defesa aérea de curto alcance altamente móvel”.

O projeto inclui a entrega de seis veículos do tipo M113 modificados para realizarem o transporte e disparo de mísseis IRIS-T/RBS 98.

Obs do Autor: Selecionado pela Força Aérea Brasileira para os caças F.39 Gripen, os mísseis Iris-T podem aumentar sua escala no Brasil, com vantagens econômicas, ao ser adotado pelo Exército Brasileiro como solução moderna para o PEE Defesa Antiaérea, por exemplo.

Além do veículo BV.410 e dos veteranos M-113, de esteiras, o Guarani, sobre rodas, também pode servir como viatura lançadora/transportadora desse sistema míssil, especialmente para deployments em áreas urbanas/defesa de infraestruturas críticas.

Cumprindo com sobras as performances estabelecidas nos requerimentos, o Iris-T reforça mais uma vez seu posicionamento de mercado para atender ao Programa Estratégico do Exército Defesa Antiaérea (PEE DA).

4 Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here