UL e o Programa de Certificação de Segurança contra Incêndio

0
2202
Imagem 2 UL- Programa de Certificação de Segurança
O evento conscientizou o mercado sobre a segurança na área de proteção e combate a incêndios. (Imagem: CM Comunicação Corporativa)

As principais entidades de segurança e engenharia do País estiveram presentes no lançamento do Programa de Certificação de Segurança contra Incêndio. Promovido pela UL, multinacional norte-americana do setor de inspeções, ensaios e certificação de produto, o evento, que contou com a participação de mais de 280 pessoas, ofereceu um dia de debate sobre segurança para o mercado abordando temas como: normatização, indústria de sprinklers no Brasil, proteção à vida em risco, licenciamento de edificações e áreas de risco, certificação, qualidade dos sistemas instalados de proteção contra incêndio, entre outros.

“Hoje foi um marco para a UL no Brasil. Reunimos os principais players do mercado para buscar soluções eficientes e promover uma mudança de paradigma no mercado sobre a necessidade de certificações compulsórias e normas mais rígidas em equipamentos e processos que envolvem o segmento de proteção e combate a incêndio, visando garantir a segurança das pessoas em casa e no trabalho, que é uma das missões da UL no mundo”, afirmou Álvaro Theisen, diretor presidente UL Brasil.

Atuando neste segmento no Brasil desde 2014, a UL vem trabalhando no Programa de Certificação de Segurança contra Incêndio há cerca de um ano e meio e envolveu em torno de 400 de seus engenheiros no projeto, que tem como objetivo ser expandido também para outros países da América Latina. “A UL trabalha pela segurança do mundo desde 1894, por isso o foco principal do Programa é continuar garantindo a segurança das pessoas ao conscientizá-las da importância das certificações voluntárias, além de provocar os órgãos públicos para que estas certificações também passem a ser compulsórias para diversos produtos utilizados no setor”, comentou Alfredo Ramírez, gerente de regulação da UL.

As palestras colocaram em debate questões como a normatização de sistemas de segurança ativa, como alarmes, hidrantes, extintores e também de segurança passiva, entre eles revestimentos e acabamentos, que podem retardar e até mesmo impedir a propagação das chamas até a chegada da equipe de bombeiros. Outro ponto importante foi a discussão para tornar compulsória a certificação de equipamentos como sprinklers e centrais de alarme, que detectam fumaça, temperatura e até mesmo vazamentos de gás.

Os palestrantes ainda salientaram não só a importância das certificações para garantir a segurança, como também a competitividade de mercado que as certificações e a convergência regulatória podem trazer ao Brasil. “Antes de 2008 não tínhamos importação de bicos sem certificação e hoje somente 30% dos produtos importados são certificados. Este dado é preocupante e por isso precisamos garantir a certificação de produto e tornar também compulsório”, acentuou João Carlos Wollentarski Júnior, presidente da ABSpk.

O evento também contou com a presença do INMETRO, que ministrou palestra sobre processo de regulamentação na instituição,  do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo, com a palestra do major PM Marcelo Cicerelli, que abordou o licenciamento de edificações e áreas de risco, além do Instituto de Engenharia, GSI (Grupo de Fomento de Segurança contra Incêndio), ABSpk (Associação Brasileira de Sprinklers), FenSeg (Federação Nacional de Seguros Gerais), CB24 (Comitê Brasileiro de Segurança Contra Incêndio) e IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas.

A UL está presente no Brasil desde 1999 e foi fundada há 122 anos nos Estados Unidos, tendo iniciado suas atividades com foco em combate e proteção a incêndio, com a criação das primeiras normas destinadas a extintores e portas corta-fogo.

Ivan Plavetz