Thales implantará Sistema de Gestão de Tráfego Aéreo na Jamaica

0
1353
Imagem 1 Thales-ATM-Jamaica
Centros de ATM instalados pela Thales estão presentes em oito países da América Latina. (Imagem: African Aerospace)

A Thales assinou contrato com a JCAA  (Jamaican Civil Aviation Authority) para implementar um avançado sistema de ATM (Air Traffic Management) e modernizar a prestação de serviços de tráfego aéreo na Jamaica.

No total, seis locais serão modernizados com os sistemas de gestão de tráfego aéreo de última geração da Thales, incluindo o Kingston Air Traffic Control Centre (ATC), os Aeroportos Internacionais Norman Manley e Sangster, bem como três estações de radar, garantindo, assim, a cobertura total da ilha e do seu espaço aéreo.

A Thales implantará na estação de Mount Denham um de seus radares primários Banda L de última geração, colocado junto com um Radar Mode-S MSSR. As estações de Kingston e Montego Bay contarão com um radar Mode-S MSSR. Todas as estações de radar estarão conectadas com o Kingston ATC, que será equipado com o Thales TOPSKY-ATC, que segundo a Thales, é o mais avançado sistema de gestão do tráfego aéreo do mundo. Esse sistema terá complemento do simulador de torre Thales SCANSIM. A Thales também garantirá o suporte e a logística da implantação dos sistemas.

Conforme a empresa, o contrato representa um marco para a JCAA, que continuará a contar com os mais elevados níveis de segurança aérea em todos os voos internacionais. Anualmente, a Jamaica recebe 1,4 milhão de turistas.

“A Jamaica é um dos maiores e mais movimentados destinos turísticos da América Latina, demandando, portanto, elevados padrões de segurança aérea os quais a Thales ajudará a manter com sistemas de última geração”, afirmou Ruben Lazo, vice-presidente da Thales na América Latina. “A Thales é líder em gestão de tráfego aéreo na América Latina e Caribe e esse contrato reafirma as nossas sólidas parcerias locais e a nossa estratégia de duplicar a presença da Thales na região até 2019”, enfatizou.

A empresa possui mais de 150 sistemas de radares e 25 centros de controle de tráfego aéreo na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, República Dominicana, Equador, México e Uruguai e sistemas de apoio à navegação (Navaids) em operação em quase todos os países da região.

Ivan Plavetz