Tecnologia brasileira revoluciona o mercado de blindagem automotiva: UDura.

0
9200
O composto balístico UDura foi desenvolvido e patenteado com base na tecnologia de fabricação dos materiais compósitos de fibra de carbono.

O composto balístico UDura foi desenvolvido e patenteado com base na tecnologia de fabricação dos materiais compósitos de fibra de carbono, trazendo ao mercado um produto com alta performance balística e leveza incomparável.

Sua fabricação inovadora, sendo “não-tecido”, garante uma performance até nove vezes (propriedade mecânica) mais resistente que os outros materiais, com a diferença de peso de 20% comparado ao tecido trançado de Aramida* e até 80% comparado ao aço inoxidável.

UDura melhora a performance do veículo, reduzindo até 50kg* na blindagem, desacelerando assim o desgaste dos itens de segurança do veículo, como freios, suspensão, entre outros.

Possui proteção mais eficiente contra a degradação da fibra balística, possibilitando a extensão do prazo de validade para 10 anos.

Mercado atual

Tecido entrelaçado de Aramida

As blindagens existentes atualmente no mercado são montadas utilizando camadas de tecido de estrutura entrelaçada.

A fibra presente nestas blindagens (Aramida, Kevlar, Twaron) possui elevada resistência mecânica, porém, devido ao entrelaçamento e ao processo de tecelagem (construção do tecido), o resultado balístico final é bastante inferior ao potencial da fibra, acarretando em blindagens comparativamente mais pesadas.  (figura abaixo)

A estrutura entrelaçada e o processo de construção do tecido (tecelagem), além de diminuírem o desempenho balístico da blindagem, prejudicam a integridade da camada de proteção da fibra contra degradação, provocando perda prematura do desempenho mecânico e, consequentemente, período de garantia comparativamente menor.

O terceiro fator característico das blindagens de tecidos entrelaçados fabricadas no mercado atualmente é a alta sensibilidade ao “efeito de borda”, ou seja, nos impactos próximos a borda da blindagem (4 cm) existe uma grande piora no desempenho balístico, inviabilizando o uso deste tipo de tecido em blindagens estreitas, como por exemplo colunas, travessas de teto entre outras peças menores do interior dos veículos.

Mercado atual

Aço Inox 2,5 mm ou 3 mm

As chapas de aço inox 304 ou 304L implementadas nas área de coluna, maçanetas e contornos da lataria interna dos veículos possuem características mecânicas para a absorção dos impactos balísticos por deformação e complementam a aramida em áreas que esta não pode ser utilizada.

O produto apresenta alguns problemas pós blindagem, como ruído e rangido interno excessivo, degradação acelerada dos componentes de suspensão e sistemas de segurança (freios), aumento de gravidade do veículo devido ao peso, comprometendo a dirigibilidade em alta velocidade e curvas sinuosas, além de impedir e travar a movimentação da carroceria projetada para absorver impactos e colisões, transferindo a onda de choque diretamente ao passageiro.

A estrutura entrelaçada e o processo de construção do tecido (tecelagem), além de diminuírem o desempenho balístico da blindagem, prejudicam a integridade da camada de proteção da fibra contra degradação, provocando perda prematura do desempenho mecânico e, consequentemente, período de garantia comparativamente menor.