Simulador do Guarani no Museu Militar do CMS

1
955

Entre os dias 26 e 27 de março, primeiro final de semana em que o protótipo do simulador da viatura blindada de transporte de pessoal – média sobre rodas (VBTP-MSR) 6X6 Guarani desenvolvido pela AEL Sistemas pode ser visto pelo público do Museu Militar do Comando Militar do Sul (MMCMS), mais de 1.600 pessoas tiveram a oportunidade de conhecer de perto este equipamento que proporciona aos visitantes, a experiência virtual de pilotar a mais nova viatura do Exército Brasileiro (EB).

O simulador, desenvolvido e fornecido pela AEL Sistemas, uma empresa brasileira que há mais de 40 anos se dedica ao desenvolvimento, fabricação, manutenção e gestão logística de sistemas eletrônicos para aplicações militares e aeroespaciais.

O cockpit do simulador foi produzido pela Iveco, fabricante do Guarani, é uma réplica real da viatura, com volante, acelerador e painel de instrumentos, conta também com um sistema de som, que simula os ruídos do motor, sirene e até explosões. Tudo isso igual a um deslocamento real do Guarani nos mais diversos tipos de cenários e terrenos.

“Esta é uma oportunidade para o visitante conhecer um pouco do que é o Exército Brasileiro e também conhecer as atividades desenvolvidas por uma empresa de tecnologia em Defesa”, comenta o presidente da AEL Sistemas, Gal Lazar.

O comandante Militar do Sul, general de exército Valério Stumpf Trindade, afirmou que o
equipamento é mais uma atração para o museu do CMS, que é um dos mais visitados do Rio Grande do Sul. “Aqui, nós temos a tecnologia de ponta da AEL, que é utilizada pelo nosso Exército e que estará à disposição das pessoas interessadas na história militar”, afirmou.

O simulador do Blindado Guarani pode visitado, gratuitamente, às quartas-feiras e também durante os finais de semana. O Museu Militar do CMS, atualmente dirigido pelo Coronel Ílio Júnior, fica no Centro Histórico de Porto Alegre, Rua dos Andradas, 630.

Chegada do simulador ao Museu Militar do Comando Militar do Sul

Fonte: AEL Sistemas

1 Comentário

Deixe um comentário para Diego Tarses Cardoso Cancelar Resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here