Seminários de Estudos Estratégicos em Porto Alegre

0
1584

O Comando Militar do Sul (CMS) e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) promoveram os Seminários de Estudos Estratégicos, que teve como eixo temático unificado “Defesa como Estratégia Nacional de Desenvolvimento e de Inserção Internacional do Brasil”.

Foram 03 eventos realizados em conjunto, a saber: o I Seminário de Estudos Estratégicos do Comando Militar do Sul, o III Seminário Brasileiro de Estudos Estratégicos Internacionais da UFRGS e o IV Seminário Casas de União.

A proposta dos Seminários foi promover a integração do conhecimento acadêmico, das indústrias de Defesa e das Forças Armadas para o desenvolvimento da mentalidade de defesa, com vistas ao desenvolvimento econômico-social brasileiro e maior inserção do Brasil no cenário internacional.

A cerimônia de abertura aconteceu no salão nobre da Faculdade de Direito na noite do dia 18 de outubro e contou com a presença de autoridades civis e militares. Na oportunidade, o reitor da UFRGS, Prof. Dr. Rui Vicente Oppermann, destacou que o evento tem “valor histórico”, pois reúne dois entes relevantes da sociedade brasileira – a Academia e as Forças Armadas – para discutir temas ligados ao desenvolvimento e a soberania nacional.

O representante do CMS, Gen Bda Douglas Bassoli, ressaltou que este Seminário, ao congregar militares e o meio acadêmico para estudar temas estratégicos relacionados à Defesa, ao Desenvolvimento e às Relações Internacionais, reflete o amadurecimento do País e a confiança destas Instituições no futuro da Nação.

O general de brigada Guido Amin Naves, chefe do Escritório de Projetos, em sua apresentação na Conferência de Abertura, destacou os projetos estratégicos da Força Terrestre e os pontos de possíveis interações com a indústria e a Academia, o que caracteriza o que vem sendo chamado nos meios acadêmicos e de Defesa, como “Tríplice Hélice”.

No programa do Seminário constou a Conferência de Abertura, a mesa de boas-vindas, dez painéis e a Conferência de Encerramento, além da apresentação de artigos de alunos da graduação e pós-graduação em Relações Internacionais e Estudos Estratégicos. As atividades ocorreram na Faculdade de Ciências Econômicas e de Direito da UFRGS, no GBOEX e na sede do Comando Militar do Sul.

A abertura do Seminário foi com o painel “África: relações internacionais contemporâneas do Brasil, Diplomacia Militar e as operações militares da ONU no continente”. Na oportunidade, a Profa. Dra. Analúcia Danilevicz Pereira, coordenadora do Centro Brasileiro de Estudos Africanos, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, abordou os desafios das Relações Internacionais face às ações de potências extracontinentais, como China e Japão no continente africano.

Já o general de divisão Carlos Alberto dos Santos Cruz, do Estado-Maior do Exército, relatou suas experiências como Force Commander da Monusco, nas operações militares na República Democrática do Congo, enquanto o Coronel Luís Olavo Barbosa, do Comando Militar do Sul, analisou causas e consequências dos principais conflitos e descreveu suas experiências e lições aprendidas, durante seu período como Adido Militar na República Federal da Nigéria.

Um dos pontos altos do Seminário foi o painel: “As Forças Armadas Brasileiras e sua contribuição para a inserção internacional do Brasil”. Na oportunidade, o general de exército Edson Leal Pujol, comandante militar do Sul, o major brigadeiro do ar Jeferson Domingues de Freitas, comandante do 5º Comando Aéreo Regional e o vice-almirante Victor Cardoso Gomes, comandante do 5º Distrito Naval, abordaram a participação das Forças Armadas no grau de protagonismo do Brasil no cenário internacional e a importância da integração dos Comandos de Área na região Sul do País para a estratégia da Dissuasão.

Prof. André Reis, Brigadeiro Domingues, Gen Pujol e Alte Cardoso Gomes no Painel sobre a participação das Forças Armadas na diplomacia militar.

Outro momento relevante foi o painel sobre “As forças blindadas e mecanizadas do Exército Brasileiro e seu efeito dissuasório”. Nesse painel, o general de divisão José Luiz Dias Freitas, comandante da 5ª Divisão de Exército, apresentou a família Leopard e sua importância para a Força Terrestre e para a 3ª e 5ª Divisões de Exército, e o general de divisão Marcos Antônio Amaro dos Santos, comandante da 3ª Divisão de Exército, apresentou o projeto Guarani, a estrutura da espinha dorsal blindada e mecanizada do CMS, incluindo o Centro de Instrução de Blindados e o Centro de Adestramento e Avaliação – Sul (CAA – Sul).

General Adalmir, General Freitas, General Amaro e Sr Christian Böge no painel sobre Blindados.

A implantação da Família Leopard, abordando a aquisição internacional e a contratação internacional de produtos e serviços logísticos integrados foi o assunto abordado pelo general de Divisão Adalmir Manoel Domingos, ex-diretor de Material do Exército. Já o Sr. Christian Bege, diretor da KMW do Brasil – Sistemas Militares, ressaltou a participação brasileira no grupo LEOBEN, o que permite trocar experiências com os diversos países utilizadores do sistema de armas Leopard, bem como participar nos diversos grupos de trabalho que tratam assuntos específicos relacionados com questões operacionais e logísticas do interesse do Exército.

Sr Christian Böge apresentando a Krauss-Maffei Wegmann (KMW).

Um caso de sucesso apresentado no Seminário é o Polo de Defesa Santa Maria (RS), que apresenta o Arranjo Produtivo Local (APL) de Defesa como instrumento do Federalismo Cooperativo e caracteriza a Tríplice Hélice. Neste painel, o coronel Piraju Borowski Mendes, chefe do Escritório de Projetos da 3ª Divisão de Exército, o Sr Christiano Ambros da Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI) e a Profa. Dra. Nilza Zampieri, presidente do Santa Maria Tecnoparque, discutiram as barreiras e incentivos para a implementação de um APL de Defesa.

Coronel Borowski, Sr Christiano Ambros e Profa. Nilza Zampieri no painel sobre a Tríplice Hélice.

Na Conferência de Encerramento, cujo tema foi “O Brasil diante das crescentes tensões mundiais: reflexos para a Defesa e para as Relações Internacionais”, o Sr. Luís Inácio Adams, ex-Ministro da Advocacia-Geral da União, o general de exército Joaquim Silva e Luna, secretário-geral do Ministério da Defesa e o Sr. Lorenzo Carrasco, Movimento de Solidariedade Ibero-americana (MSIa), abordaram os possíveis quadros de conflito convencionais, a origem e o potencial das novas ameaças, bem como as consequências para o País, ressaltando a importância da existência de uma estrutura militar forte, envolvendo a Estratégia Nacional de Defesa (END) e a indústria de Defesa nacional.

A integração entre civis e militares foi o destaque desse Seminário, uma vez que houve intensa troca de informações e de contatos entre estudantes, professores, militares, industriais e pessoas interessadas nos temas Relações Internacionais e Defesa.

O fato de ter sido organizado em conjunto e realizado simultaneamente na UFRGS, no CMS e no GBOEX caracteriza a maturidade das Instituições, mostrando que é possível e desejável uma convivência harmônica e construtiva entre aqueles que pensam o Brasil como um país soberano e reconhecido no concerto das Nações.

 

Mário Andreuzza
Coronel de Cavalaria
Chefe do Núcleo de Estudos Estratégicos do Comando Militar do Sul