Saab apresenta Gripen para novo caça da Indonésia

0
2185
O Gripen E/F, realidade da FAB pelas próximas décadas.

A Saab apresentou proposta para autoridades da Indonésia com o propósito de fornecer o avião de combate multifuncional JAS 39 Gripen para atender aos requisitos da Força Aérea daquele país. A notícia foi confirmada pelo diretor da Saab indonésia, Peter Carlqvist.

Carlqvist disse que a proposta possui caráter flexível com relação à versão do Gripen requerida pela Força Aérea da Indonésia (TNI-AU conforme sigla no idioma local). De acordo com o executivo, a Saab está totalmente comprometida em oferecer participação industrial e está aguardando o início formal da concorrência.

O requisito da TNI-AU para um avião de combate que venha a substituir seus F-5E Tiger II não é recente, frota que entrou em operação no inicio dos anos de 1980. Conforme fontes próximas ao assunto, o programa indonésio envolverá a aquisição de 16 aeronaves cujo custo gira em torno dos US$ 1,5 bilhões. Essa cifra poderia, eventualmente, crescer em função do aumento dos interesses de proteção territorial da Indonésia no sudeste da Ásia.

Carlqvist disse que a Saab propôs as versões C (um assento) e D (dois assentos) e também o novo Gripen E, que foi apresentado oficialmente em maio nas instalações da companhia em Linköping. O Gripen E apresenta inúmeros aperfeiçoamentos com relação às variantes C/D em termos de capacidade de sobrevivência, sensores, sistemas gerais, carga útil, comunicações, performances, alcance e aviônicos.

Sobre a proposta dirigida à Indonésia, Carlqvist destacou que a Saab tem apresentado orçamentos correspondentes a um esquadrão de Gripen. De acordo com ele, se o país necessitar de entregas rápidas a solução será as versões C/D, mas a longo prazo seria mais indicado a oferta pelo Gripen E.

Carlqvist lembrou que o centro da proposta da Saab está de acordo com a Lei da Indústria de Defesa 2012 (conhecida também como Lei Número 16) em vigor na Indonésia, legislação que exige que companhias estrangeiras contratadas se associem com a indústria local.

Ivan Plavetz
Fonte: Jane’s Defence Weekly