Royal Navy conclui a campanha de disparos de validação do míssil Sea Ceptor da MBDA.

0
1453
A Real Marinha Britânica (Royal Navy) realizou com sucesso a validação operacional do novo sistema de defesa aérea Sea Ceptor. A recente campanha de disparos complementou a qualificação realizada anteriormente, desta forma confirmando a entrega dessa nova capacidade antiaérea para a Royal Navy.
  • A fragata HMS Argyll foi o navio que completou a bateria de testes de desenvolvimento do Sea Ceptor. O próximo passo será a instalação do míssil nas outras fragatas Classe Tipo 23 da Royal Navy.
  • Os benefícios que o CAMM oferece já foram amplamente reconhecidos internacionalmente, uma série de clientes internacionais o escolheram como base para suas futuras capacidades de defesa aérea local, incluindo aí a Marinha do Brasil..

A Real Marinha Britânica (Royal Navy) realizou com sucesso a validação operacional do novo sistema de defesa aérea Sea Ceptor. A recente campanha de disparos complementou a qualificação realizada anteriormente, desta forma confirmando a entrega dessa nova capacidade antiaérea para a Royal Navy.

Na sequência da primeira rodada de testes realizados no verão, o segundo conjunto de ensaios empregando a fragata HMS Argyll fez uso do sistema contra cenários mais complexos, incluindo o envolvimento rápido de múltiplas ameaças simultâneas.

O primeiro de uma série de testes de instalação foi concluído com sucesso no próximo navio modificado, o HMS Westminster. Cada plataforma Sea Ceptor instalada passará por uma campanha de disparos reais antes do navio que a recebeu retornar ao serviço da linha de frente.

O Sea Ceptor oferece uma mudança superlativa de capacidades em comparação com sistemas antigos como o Sea Wolf, que está a substituir na Royal Navy, pois além de proteger a si mesmo e seu navio base, o míssil protege na verdade todo um grupo tarefa navegando sob a proteção do sistema.

Falando após o sucesso dos testes, Nick Neale, gerente do programa Sea Ceptor da MBDA disse: “O desempenho e as capacidades do Sea Ceptor foram totalmente demonstrados nestes ensaios extraordinários pela Royal Navy. Reconhecendo a complexidade do novo sistema, o nível consistente de sucesso alcançado é bastante notável e testemunha a qualidade do processo de verificação e validação da MBDA“.

Sea Ceptor firing by HMS Westminster © MBDA photo.

O conceito do míssil Sea Ceptor é chamado de CAMM (Míssil modular anti-aéreo comum), e seu robusto motor de foguete fornece o dobro de empuxo do motor usado Sea Wolf. O novo diretor de radar ativo permite ao míssil “lockar”alvos sem a necessidade de iluminadores radar complexos e dispendiosos.

O CAMM também faz uso de um sistema de lançamento suave (ignição a frio) que usa um gerador de gás para expulsar o míssil de seu recipiente, cujos benefícios incluem maior alcance aumentado, salvando toda a energia do motor do foguete para alimentar a intercepção, redução da faixa de interceptação mínima, danos mínimos a plataforma de lançamento, reduzindo consideravelmente os requisitos / custos de manutenção (instalação compacta sem necessidade de gerenciar o efluente de gás quente a bordo).

Como parte do sistema de cooperação do Portfolio entre o Ministério da Defesa do Reino Unido e a MBDA, o CAMM também está sendo implementado como o elemento de arma do sistema Land Ceptor para substituir os sistemas de defesa aérea terrestre Rapier do Royal Army (Exército Britânico).

Ao operar um míssil comum, as forças armadas do Reino Unido poderão aproveitar os benefícios de reduções significativas nos custos ao longo do ciclo de vida dos sistemas, incluindo o desenvolvimento, a aquisição, os custos de suporte e o compartilhamento de uma reserva comum.