Operação Carranca IV: Começa a fase prática

0
2135

Foto 1 Operação Carranca IV.
(Imagem: Agência Força Aérea)

A Operação Carranca IV entrou na fase de Exercício de Integração desde ontem (09) e se estenderá até a próxima sexta-feira (13), realizando simulações de missões em diversos ambientes. O maior exercício simulado de Busca e Salvamento (SAR) da América Latina começou na semana passada na cidade de Florianópolis (SC), com a participação de 450 militares.

As simulações começaram durante a madrugada. O diferencial desta edição é o atendimento às vítimas em plataformas petrolíferas e o uso de cães farejadores do Grupo de Apoio à FAB (GAFAB). A utilização de Óculos de Visão Noturna (NVG, conforme sigla em inglês) também será empregado intensivamente.

Essa nova fase coloca em prática o aprendizado de Avaliação Operacional, realizado na semana passada. Aviões de busca e helicópteros de salvamento da FAB, um navio da Marinha, um helicóptero da Petrobras e cães de resgate participam de diversas ações, como localizar e resgatar náufragos, embarcações à deriva, aeronaves acidentadas, pilotos ejetados, vítimas de acidentes aeronáuticos perdidas na mata e evacuação aeromédica de plataforma petrolífera.

De acordo com o diretor do exercício, tenente coronel aviador Silvio Monteiro Junior, é necessário ter uma constante atualização e treinamento em missões que exigem uma capacidade de pronta resposta. “O que nós fazemos é estudar os casos reais que já aconteceram nos últimos cinco ou dez anos e simular esses cenários. Então, realizamos missões de busca e de salvamento, sempre colocando para trabalhar conjuntamente os coordenadores e demais pessoas envolvidas na missão”, explicou.

Foto 2 Operação Carranca IV .
Tripulante de SC-105 realizando tarefa de observação durante uma missão na Operação Carranca IV. (Imagem: Agência Força Aérea)

A Força Aérea Brasileira vai empregar helicópteros H-1H, H-34 Super Puma, H-60 Black Hawk e aviões SC-105 Amazonas, P-95 Bandeirulha e P-3AM Orion. O trabalho é gerenciado por dois Centros de Coordenação de Salvamento destinados às missões no mar e na terra.

Coordenado pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), órgão central do SISSAR (Sistema de Busca e Salvamento Aeronáutico Brasileiro), o treinamento envolve diversas unidades do Comando da Aeronáutica, entre elas, os cinco Centros de Coordenação de Salvamento Aeronáutico do Brasil, conhecidos como Salvaeros; a Segunda Força Aérea (II FAE); o Primeiro Grupo de Comunicações e Controle (1° GCC) e a Base Aérea de Florianópolis.

Participam também a Marinha do Brasil, o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, a Petrobras e o GAFAB.