O primeiro helicóptero Ártico para a Rússia

0
2987
Imagem 1 Mi-8AMTSh-VA
(Imagem: Russian Helicopters)

A Planta de Aviação de Ulan-Ude (parte da Russian Helicopters, divisão pertencente ao conglomerado russo Rostec), realizou uma cerimônia de aceitação do primeiro helicóptero Mi-8 AMTSh-VA destinado ao grupamento Ártico do Ministério da Defesa russo.

Esse primeiro exemplar foi desenvolvido especialmente para operar no extremo norte do continente gelado, onde as temperaturas são menores do que – 40 °C. Equipado com tanques de combustível extras, a aeronave é capaz de voar 1.300 Km sem interrupção.

Foi desenvolvido com base no Mi-8 AMTSh-V, modelo já entregue. O helicóptero está munido de equipamentos que o habilitam para operar em regiões sujeitas a baixíssimas temperaturas, onde a orientação durante o voo é difícil e predominam a escuridão polar, a escassez ou ausência de sinais de satélites, frágeis links entre rádios  e onde voos acontecem sobre grandes extensões de água e os percursos entre bases são longos.

De acordo com Alexander Mikheev, CEO da Russian Helicopters, a ampla expertise da companhia acumulada ao longo do desenvolvimento, produção e ensaios no extremo norte do país está proporcionando também oportunidade para introduzir o helicóptero em atividades comerciais no Ártico. Conforme Mikeev, o modelo é crucial para o desenvolvimento das infraestruturas naquelas regiões, fato que inclui seu emprego por parte de companhias de óleo e gás em atividades offshore.

O contrato para o fornecimento de helicópteros destinados a realizar operações para os grupamentos foi assinado com o Ministério da Defesa da Federação Russa em fevereiro deste ano. Além das Forças Armadas, outras agências responsáveis pela aplicação da lei têm mostrado grande interesse neste modelo.

Perfil do Mi-8 AMTSh-VA

Imagem 2 Mi-8AMTSh-VA
O Mi-8 AMTSh-VA foi desenvolvido para operar em temperaturas extremamente baixas. (Imagem: Russian Helicopters)

O Mi-8 AMTSh-VA é equipado com dois motores Klimov VK-2500-03 e transmissão aperfeiçoada. A unidade auxiliar geradora de energia disponibiliza maior potência com propósito de suprir as demandas dos novos sistemas embarcados.

Os sistemas de aquecimento da cabine de pilotagem e da cabine de carga, os reforçados revestimentos para isolamento térmico, os sistemas de injeção de calor nos motores e nos sistemas mecânicos, além dos tubos de Teflon empregados nos sistemas hidráulicos, de óleo e combustível, permitem que o helicóptero opere em temperaturas muito baixas. Possui coberturas especiais para manter a eficiência dos sistemas da aeronave mesmo a temperaturas abaixo de – 40°C.

Também está integrado ao helicóptero um piloto automático digital que oferece elevada eficiência de controle, e acurada navegação em áreas de reduzida visibilidade e dominadas pela noite polar. Está equipado com uma gama de sistemas de navegação (incluindo satelital duplicado), aviônicos digitais com geradores de mapas e sistema de referencia inercial solidário, que habilita a identificação de suas coordenadas na eventualidade de perda do sinal de satélite.

O radar meteorológico instalado tem a capacidade de detectar condições meteorológicas perigosas tanto no sentido horizontal quanto no vertical, escanear a superfície e identificar objetos e linhas de transmissão.

Conta com sistemas de observação do espaço aéreo para alertar sobre presença de outras aeronaves em condições de baixa visibilidade, e de pesquisa de rádio direcional que opera em todas as frequências de emergência, podendo ser utilizados em operações de busca e salvamento.

Um conjunto de comunicações especializado garante links de rádio ininterruptos e confiáveis sobre uma vasta gama de frequências.

Ivan Plavetz