Ministério da Saúde ressarce FAB por voos de transporte de órgãos

0
1687
De acordo com o Ministério da Saúde, de janeiro a julho deste ano, 52 cirurgias de transplante foram viabilizadas com ajuda da FAB (Imagem: Força Aérea Brasileira/Sgto Johnson Barros)

Os ministérios da Saúde e Defesa assinaram, na última quarta-feira (24), um Termo de Execução Descentralizado (TED) no valor de R$ 5 milhões.

O valor corresponde ao ressarcimento pelos voos de transporte de órgãos realizados pela Força Aérea Brasileira (FAB). De 06 de junho a 23 de agosto, a FAB cumpriu 39 missões dessa natureza em todo o Brasil.

“É uma parceria em nome da vida e da esperança”, declarou o ministro da Defesa Raul Jungmann logo após a assinatura. “Isso está permitindo que um ato profundamente humano, que é ceder um órgão de uma pessoa que se vai para outra sobreviver, possa acontecer”, complementou.

Jungmann também destacou o profissionalismo das Forças Armadas que ao oferecer seu trabalho e equipamentos atuam em uma questão central em prol da sociedade brasileira. “Está dentro do papel social das Forças Armadas, que têm a tarefa nobre de defender o País, mas tem também outras tarefas subsidiárias, como esta [transporte de órgãos para transplante], que devem ser cumpridas”, avaliou.

De acordo com a pasta da Saúde, de janeiro a julho deste ano, 697 órgãos foram transportados. Desse total, 52 órgãos foram em aviões da FAB, incluindo 24 corações, 15 fígados, três pulmões, dois rins e três pâncreas, dentre outros. Órgãos como coração e pulmão possuem tempo de isquemia menor, até quatro horas entre a retirada e a implantação, e precisam de mais agilidade no transporte.

“Alguns órgãos deixavam de ser aproveitados por não haver logística para cumprir no prazo necessário. Com a disponibilidade da FAB, crescemos na oportunidade de aproveitamento dos órgãos”, explicou o ministro da Saúde Ricardo Barros sobre a capilaridade da presença da FAB em diversas cidades de todo o País.

Cerimônia de assinatura do TED (Imagem: Força Aérea Brasileira)
Cerimônia de assinatura do TED (Imagem: Força Aérea Brasileira)

O Brasil é referência mundial em transplantes. Somente no ano passado registrou 23.666 cirurgias; 1.164 órgãos e 2.409 tecidos foram transportados. Houve ainda 110 órgãos e 219 tecidos transferidos por meio de voos fretados e transportes terrestres em parceria com as Centrais Estaduais de Transplantes.

Além da FAB, o ministério da Saúde destaca a parceria com as companhias aéreas brasileiras para transporte de órgãos voltados a transplantes. Os voos com órgãos e equipes médicas têm prioridade de decolagem e pouso. A coordenação é realizada pelo Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), no Rio de Janeiro.

Ivan Plavetz