Mestrado da FAB pesquisa operação em aeronaves de última geração

0
2209
Novos recursos tecnológicos e sistemas operados simultaneamente demandam maior preparação biopsicossocial do piloto. (Imagem: Agência Força Aérea)

Novas capacidades necessárias aos futuros pilotos das aeronaves militares de última geração, como o avião de combate Gripen NG, estão entre as temáticas de pesquisa da primeira turma do Programa de Pós-Graduação em Desempenho Humano Operacional no Setor Aeroespacial.

As atividades do curso, inédito no Brasil e que visa promover a pesquisa do desempenho operacional dos militares designados para esse tipo de missão, iniciaram na última terça-feira (13). O programa de mestrado é oferecido pela Universidade da Força Aérea (UNIFA), localizada no Rio de Janeiro (RJ).

O coordenador do curso, coronel Gilvan Vasconcelos da Silva, destacou a importância da pesquisa sobre o desempenho humano na preparação dos pilotos que irão operar o novo caça Gripen NG.

“O Gripen NG faz parte de uma categoria de aeronave capaz de suportar alta capacidade de carga G (força da gravidade), com um grande número de sistemas a serem operadas ao mesmo tempo, e que demanda uma maior preparação biopsicossocial do piloto. Para obter o máximo desempenho da máquina é necessário que o piloto esteja muito mais capacitado. Como um atleta de alto rendimento olímpico, o operador da aeronave tem que estar em seu mais alto patamar de preparação física, psíquica, cognitiva e social. O Programa vai ao encontro desta necessidade operacional visando preparação dos pilotos para essa nova tecnologia”, disse o coronel.

Coronel Gilvan, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Desempenho Humano Operacional no Setor Aeroespacial. (Imagem: UNIFA)
Coronel Gilvan, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Desempenho Humano Operacional no Setor Aeroespacial. (Imagem: UNIFA)

O novo programa de pós-graduação tem como objetivo a melhoria do nível de desempenho humano operacional no setor aeroespacial, por meio da capacitação de recursos humanos para o desenvolvimento de pesquisas e de produções técnicas, face às demandas laborais decorrentes das diferentes atividades desempenhadas pelos recursos humanos no setor aeroespacial.

Além disso, visa possibilitar que os sistemas de armas sejam projetados, desenvolvidos e adquiridos a partir de dados científicos sobre o Elemento Humano e seu desempenho.

Primeira turma

Para a primeira turma do Programa foram disponibilizadas oito vagas para militares e civis do Ministério da Defesa (MD) e das Forças Armadas.

Os interessados passaram por um processo de seleção através da análise e avaliação de projeto preliminar do trabalho de conclusão do curso, prova de compreensão de língua inglesa e entrevista. Dos dez candidatos inscritos, foram selecionados quatro militares que fazem parte da primeira turma.

Brigadeiro do ar Arnaldo Augusto do Amaral Neto,  comandante  da UNIFA (Imagem: UNIFA)
Brigadeiro do ar Arnaldo Augusto do Amaral Neto, comandante da UNIFA (Imagem: UNIFA)

“O Programa de Pós-Graduação em Desempenho Humano Operacional da Universidade da Força Aérea é de extrema relevância para o desenvolvimento e aprimoramento de pesquisas que avaliem fatores biopsicossociais e sua influência no rendimento e eficiência dos militares no cumprimento das missões. Além de fomentar tais investigações de campo, o programa irá especializar oficiais das mais diversas áreas de atuação, promovendo a constante busca pelo conhecimento e aperfeiçoamento profissional”, explicou a professora doutora do corpo docente do programa, tenente Grace Guindani Vidal.

Ivan Plavetz